11 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Governador vai apurar caso de militares que ameaçaram mulher vestida em camiseta de Lula

Paulo Dantas foi cobrado pela cúpula do PT no Estado, que teme caso semelhante ao de Foz do Iguaçu

Mulher em camisa de Lula foi ameaçada por policiais na orla de Maceió

O governador Paulo Dantas (MDB) foi procurado pela direção do Partido dos Trabalhadores (PT) que pediu apuração do governo do Estado, após denúncia de que policiais militares ameaçaram uma mulher na orla de Maceió,enquanto ela caminhava vestida em uma camisa com a foto do ex-presidente Lula.

Dantas deixou claro aos dirigentes do PT que vai apurar as ameaças, considerando que o sistema de segurança existe para proteger as pessoas e nunca para ameaçá-las.

De acordo com a denúncia feita mulher, nas redes sociais, um militar em um posto de serviço a ela se dirigiu com a seguinte ameaça:

-Depois não sabe porque leva um tiro. 

A mulher, em sua camiseta estampada com o rosto do pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva, disse que ficou abalada e completamente vulnerável em meio “as autoridades” fardadas.

O presidente do Diretório Estadual do PT, advogado Ricardo Barbosa, manifestou ao governo do Estado a preocupação com a violência eleitoral em Alagoas, principalmente após o epiódio de Foz do Iguaçu, quando um policial bolsonarista matou a tiros um dirigente do PT, que comemorava o aniversário de 50 anos de idade.

A preocupação com a partidarização política entre as forças da segurança pública no Estado também foi uma preocupação levada ao governador Paulo Dantas pelo deputado federal Paulão.

Segundo ele, não se pode generalizar essa política de intolerância e ódio dentro da corporação. “Sabemos que atitudes como a ameaça feita a essa senhora que passeava na praia partem de uma minoria que não sabe conviver com o estado democrático de direito e a liberdade de cada um manifesta sua opção eleitoral como neste caso. Mas é fundamental que o governo estadual esteja atento a esse tipo de situação, que vai muito além da provocação. Afinal, houve uma ameaça”, disse.