21 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Governo de Pernambuco vai indenizar feridos da violência policial no protesto de sábado

Policiais reprimira nas ruas as manifestações da oposição ao governo Bolsonaro

Daniel Campelo ficou cego de um olho, após a violência policial no recife

O governo de Pernambuco anunciou no domingo, 30, que vai indenizar as pessoas que foram vítimas da violência policial, durante a manifestação da oposição contra o governo Jair Bolsonaro. As manifestações aconteceram no sábado, 29, por todo o país.

O governo divulgou que acionou a Procuradoria Geral do Estado para, em conjunto com a SJDH (Secretaria de Justiça e Direitos Humanos), iniciar um processo de indenização de duas vítimas feridas gravemente por balas de borracha da Polícia Militar.

Governo de Pernambuco anunciou que indenizará feridos no protesto contra BolsonaroReprodução/Twitter

O governo de Pernambuco também determinou que a SJDH “acompanhe a assistência médica dada aos 2 homens feridos no rosto”.

Daniel Campelo da Silva, de 51 anos, foi alvo das forças de segurança durante o protesto e imagens de seu rosto ensanguentado viralizaram nas redes sociais. Após ser atendido em hospitais da cidade, ele foi informado de que perdeu a visão do olho esquerdo.

REPRESSÃO VIOLENTA

O ato no Recife foi marcado por uma ação violenta da Polícia Militar. A vereadora do Recife, Liana Cirne, foi atingida com spray de pimenta em seu rosto, depois de receber denúncias de truculência e ter ido ao local tentar dialogar com os agentes de segurança.

COMANDANTE DA PM AFASTADO

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), foi às redes sociais no sábado para informar que encaminhou uma investigação sobre a agressão à vereadora e que afastou o comandante da operação e os policiais agressores, enquanto o caso é apurado.

Repercussão

A violência da policia pernambucana ganhou repercussão nacional e passou a ser questionada a partir do momento em que essa mesma polícia deu amplo apoio nas ruas do Recife, durante a manifestação de bolsonaristas, uma semana antes, em apoio ao governo