29 de novembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Maceió

Grevistas fecham ruas de Maceió em protesto contra reforma da Previdência

O mesmo acontece em grandes cidades do País; Em Maceió está marcado um grande ato, às 15h, na Praça Centenário

Grevitsas fecharam ruas de Maceió nesta sexta-feira.

(*) Com fotos e informações enviadas pelos movimentos sociais

Nesta sexta-feira (14), o maceioense, assim como brasileiros de outros grandes centros urbanos do país, acordou em uma cidade repleta de manifestações. Foram registrados bloqueios de vias na Praça Lucena Maranhão, em Bebedouro; na BR 316 (ponte sobre o Rio Mundaú), no município de Satuba; na BR 424 sentido Polo / BP 316; na ponte Divaldo Suruagy (AL 101 Sul); na Avenida Cachoeira do Meirim (região do Benedito Bentes) e na entrada do Porto de Maceió e em diversos outros pontos, por todo o Estado.

Hoje, centrais sindicais e movimentos sociais comandam uma greve geral, prevendo a paralisação de serviços de transporte público e outros setores. A ação tem como principal alvo a proposta de reforma da Previdência do governo federal, que tramitação na Câmara dos Deputados.

O KM 39 em União dos Palmares também foi fechado por manifestantes

Em Maceió, e em vários rodovias que ligam ao interior do Estado, o trânsito ficou congestionado por causa dos bloqueios realizados logo cedo. Alguns ainda persistem. Em Bebedouro, por exemplo, ocorreram dois pontos de bloqueio. Um em frente ao Colégio Bom Conselho e o outro na Praça Lucena Maranhão. Os manifestantes atearam fogo a pneus para bloquear a as vias, por volta das 5h30 e só foi liberada às 8h.

O Movimento dos Catadores realizou bloqueio em Jacarecica

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que, até as 7h40, os dois sentidos de um trecho da BR-316, em Satuba, ainda permaneciam bloqueados. Manifestantes se concentraram, da mesma forma, em frente à entrada principal do Cepa e do Porto de Maceió.

Como combinado em votação no sindicato, 650 ônibus urbanos e intermunicipais, que fazem as linhas entre Rio Largo e Maceió, não sairiam das garagens. A paralisação programada era de 100%, mas com a liminar, ao menos 70% dos veículos precisam estar nas ruas.

Na capital Alagoana, um grande ato, reunindo sindicatos, centrais sindicais, movimentos estudantil, de trabalhadores rurais e demais movimentos sociais, está marcado para as 15h desta sexta-feira, com concentração na Praça Centenário, de onde sairá uma passeata em direção à Praça dos Martírios.

Como combinado em votação no sindicato, 650 ônibus urbanos e intermunicipais, que fazem as linhas entre Rio Largo e Maceió, não sairiam das garagens. A paralisação programada era de 100%, mas com a liminar, ao menos 70% dos veículos precisam estar nas ruas.

 

One Comment

  • O DECA RÉU DE NOVE DEDOS ESTÁ E CONTINUARÁ PRESO, COM OU SEM “GREVE”, “BABACAS”!
    Joilson Gouveia*
    Greve? Como que é possível essa “mídia assassina de reputações” chama de GREVE e de MANIFESTAÇÃO e de MANIFESTANTES a esses arruaceiros, baderneiros, bandoleiros, depredadores e queimadores de pneus e incendiários da cousa pública, os exímios esbulhadores dos direitos alheios e dos cidadãos e cidadãs decentes, dignos, honestos, honrados e trabalhadores desta não?

    Esses atoleimados resistentes ressentidos não são grevistas nem mesmo fazem piquetes (piqueteiros) à porta de entrada de seus empregos e trabalhos: primeiro, porque não trabalham nem estudam; segundo, porque não passam de algumas dúzias de pelegos de sindicatos – são mais de 17.500 sindicatos e centrais sindicais – açulando algumas centenas de inocentes-úteis (“idiotas-úteis”- Olavo de Carvalho), os quais são sempre usados na “linha-de-frente”, como doutrinado por Lênin; são nada mais nada menos que os pseudos universitários e secundaristas da “pátria educadora” mais outras dezenas de professores(doutrinadores), que nos legaram a 119ª posição no ranking mundial da Educação, dentre 139 pesquisados.

    Esses esbulhadores inebriados entorpecidos enevoados e enfumaçados – e não só pelas fumaças das queimadas – criminosamente obstruem, impedem e vetam os direitos de mobilidade urbana e rural, locomoção e de ir-e-vir nas rodovias, vias, estradas e artérias públicas, onde os malfeitores ateiam fogo em pneus, entulhos e lixos nos leitos dessas artérias de tráfego. Onde os órgãos policiais do Poder Público para garantir esses direitos dos “não-grevistas”?

    Greve é outra coisa que não a que se retrata e “noticiada” pela “imprensa-canalha”[Millôr Fernandes]! “Greve é a interrupção temporária, voluntária e coletiva de atividades ou funções, por parte de trabalhadores ou estudantes, como forma de protesto ou reivindicação” – reitores desviaram milhões de suas universidades, onde estariam esses tais “estudantes”? -, e isso não se vê desses pelegos escarlates malandros, militantes, maloqueiros e vândalos, integrantes ou não de um partido que é uma verdadeira organização criminosa, a maior ORCRIM de todos os tempos, cujo intento, fito, objetivo e desiderato é “tentar livrar do xilindró” o ignominioso presidiário e maior criminoso que este país já conheceu, que está e continuará preso, “seus babacas”, e ainda figura como réu pela décima vez.

    É apenas um reles deca réu! Que tentam e pretendem transformar um político preso (ficha-suja, inelegível e réu condenado, que ainda não devolveu a grana do fundo eleitoral partidário) em “preso-político”, quando todos os seus comparsas estão presos também, e todos os seus crimes não foram nem são políticos: nem de ideias ou de opinião; mas simples crimes comuns, mormente de desbragada, inescrupulosa e criminosa CORRUPÇÃO!
    Abr
    *JG

Comments are closed.