28 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Hospital Metropolitano realiza primeira retirada de córneas para doação de órgãos

Autorização da família atende a um pedido da doadora e pode realizar o sonho de até duas pessoas

Hospital Metropolitano está habilitado para a captação de órgãos para transplantes. Foto: Carla Cleto / Ascom Sesau

Um fato inédito e que marca o início de mais uma iniciativa humanizada no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA), em Maceió, aconteceu nesta quarta-feira (11), com a primeira cirurgia para retirada de córneas para doação.

O procedimento foi autorizado pela família de M.E.S., de 50 anos, que, em vida, havia manifestado o desejo de ser doadora de órgãos e salvar vidas.

A autorização foi feita pelo seu esposo, J. A. E., que esteve no hospital após a informação do falecimento de sua companheira, internada na UTI com problemas cardíacos. Ele ressaltou a importância de ajudar quem aguarda por um transplante de órgãos.

“Estamos realizando um desejo dela e, mesmo com a dor da perda, além da saudade, não poderíamos deixar de ajudar quem precisa desse órgão. Só tenho a agradecer a equipe do Hospital Metropolitano, que teve todo o respeito e carinho com nosso caso e nos tocou de forma humanizada”.

Todo o procedimento para que a cirurgia acontecesse dentro dos trâmites legais, com o acolhimento à família, a devida autorização e a posterior liberação do corpo para o sepultamento, foi feito pelos setores de Enfermagem e Serviço Social do hospital.

Após o procedimento, a enfermeira Paula Weslânnya, integrante da Comissão de Transplantes, juntamente com a equipe do Banco de Olhos, ressaltou o momento ímpar vivido pelo HMA, que tem uma equipe capacitada para a realização de um procedimento de cunho social e relevante.

“Estamos aptos para a retirada de córneas. Essa é nossa primeira captação e estamos felizes por realizar sonhos e trazer de volta a visão, não só de uma pessoa, mas beneficiar até dois receptores”.

O diretor-geral do HMA, Ajax Caldas, comemorou a iniciativa, não só do Hospital Metropolitano em realizar a primeira cirurgia para retirada de órgão para transplante, mas, da conscientização da família de que realizar o desejo de um ente querido, mesmo com todo o sentimento de perda, é um ato de amor que pode melhorar consideravelmente a vida de quem espera pela doação.

“Deixamos nossos sentimentos à família enlutada e parabenizo pela iniciativa de atender a um pedido da doadora. Mais uma vez, o HMA demonstra a qualidade de seu corpo técnico e a prática humanizada de seus serviços”.

Desde a última segunda-feira (9), o HMA realiza a Semana do Assistente Social, com palestras de conscientização sobre vários temas para as famílias dos pacientes que estão nas salas de espera, e uma delas tratou sobre a importância da doação de órgãos.

A coordenadora do Serviço Social, Rosemar Alexandre, acredita que esse momento foi importante para a decisão da família de M.E.S.

“A captação de órgãos é um processo complexo, que segue várias diretrizes para se concretizar, e só se inicia após a perda completa e irreversível das funções do cérebro. Nossa equipe tem todo o cuidado de passar para as famílias entenderem a partir de que momento é possível doar órgão e aceitar que um parente seu pode salvar a vida de outras pessoas”.