24 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade
Maceió

JHC promete a Assepra apoio para melhorar indenizações as famílias vítimas da Braskem

Prefeitos se comprometeu em debate com moradores e empreendedores de áreas afetadas pela mineradora

JHC promete ajudar Assepra a melhorar indenizações da Braskem

A Associação dos Empreendedores do Pinheiro e Região Afetada (Assepra) está confiante em uma mudança de parâmetros dos padrões indenizatórios da Braskem para moradores e empreendedores dos bairros vitimas do crime ambiental da mineradora.

A entidade esteve reunida esta semana com o prefeito de Maceió, JHC (PSB), em um debate sobre o crime praticado pela empresa bem como sobre condições, critérios e valores indenizatórios ainda insuficientes.

O evento foi realizado ocorrido no interior do CAT, que será um espaço de atendimento psicossocial às vítimas do afundamento de bairros na capital alagoana. Na oportunidade, o prefeito de Maceió garantiu garantindo, dentre algumas medidas, a concessão de novos laudos de avaliação dos imóveis atingidos e a criação posterior de um setor de representação das vítimas nas negociações com a indústria petroquímica.

Novas conquistas para moradores e empreendedores

O coordenador geral da Defesa Civil de Maceió, Abelardo Nobre, iniciou a cerimônia anunciando que novas regiões passam a compor o Mapa de Linha de Ações Prioritárias: o Flexal de Baixo, o Flexal de Cima e a Rua Marquês de Abrantes, no Bebedouro. A inclusão desses locais, porém, não se deve ao risco de afundamento, mas ao isolamento social a que foram submetidos moradores e empreendedores desde o esvaziamento das áreas vizinhas. Ou seja, somente após dois anos da responsabilização da Braskem pelo crime, o poder público está considerando os efeitos extrapatrimoniais da situação de calamidade. Em seu discurso, o prefeito JHC se comprometeu com a ampliação desses critérios. “Os impactos são incalculáveis, pois a cada dia nós compreendemos um prejuízo novo para a cidade e a população, mas vamos, sim, fazer a defesa dos danos extrapatrimoniais”, garantiu.

JHC também se comprometeu a assegurar condições mais equivalentes de negociação entre as vítimas e a mineradora, anunciando uma parceria com o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) de Alagoas. Segundo ele, o órgão deverá conceder laudos de avaliação de imóvel para proprietários a fim de contrapor aqueles apresentados pela Braskem. Além disso, o prefeito prometeu anunciar, em breve, um setor de representação em defesa das vítimas que atuará nas negociações perante a mineradora. Com isso, a Prefeitura de Maceió assume uma posição de enfrentamento à Braskem nunca vista antes, reconhecendo o caso como o maior problema geológico urbano em curso no mundo.

A luta dos empreendedores

O presidente da Assepra, Alexandre Sampaio, destacou a importância da atuação das 88 empresas da associação nesse processo de conquista de direitos para as pessoas vitimadas. “Este é um marco histórico para nós, pois também é fruto das denúncias que fazemos há mais de dois anos”, declarou. O empresário referiu-se ao longo período entre a responsabilização da Braskem