28 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Jurista diz que indulto de Bolsonaro é comparável à Alemanha nazista

Segundo ele, só no nazismo, o Hitler foi considerado o guardião da Constituição. Mas no Brasil há democracia e o guardião é o Supremo”.

Pedro Serrano: Só no nazismo, o Hitler foi considerado o guardião da Constituição.

O jurista e professor de Direito Constitucional Pedro Serrano afirmou nesta quinta-feira (21) que a atitude do presidente Jair Bolsonaro (PL) em conceder indulto ao deputado Daniel Silveira é comparável à Alemanha Nazista.

“Só no nazismo, o Hitler foi considerado o guardião da Constituição. Nós estamos em uma democracia e o guardião da Constituição é o Supremo, portanto não cabe a Bolsonaro usar do indulto pra impor a sua interpretação constitucional sobre e contra a do Supremo”, afirmou.

Para o jurista, “trata-se de uma vulneração intensa contra a Constituição e o papel da Suprema Corte”.

Segundo Serrano, “o indulto poderia ser fundamentado na soberania do exercício estatal, mas não foi. Bolsonaro fundamentou o indulto numa intepretação que ele tem do que deve ser o direito de livre expressão do pensamento”.

“E essa intepretação dele conflita imediatamente com a interpretação do STF no caso, ou seja, a fundamentação que ele se utiliza pra determinar um indulto procura outorgar a ele o papel de guardião da Constituição, que deveria ser do Supremo”, reafirmou o jurista.

O professor disse que existem ainda aspectos formais, de natureza legal: “tudo o que eu falei até agora foi de natureza Constitucional – que não foram cumpridos”, ressalta. “A Lei de Execução Penal traz a necessidade de requerimento do indulto pelo Ministério Público ou pela defesa, de passar pelo Ministério da Justiça e outros órgãos antes de haver a deliberação do presidente. O mais relevante, no entanto, é o argumento de que é inconstitucional”, encerra.

Pedro Serrano é professor da Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e tem Pós-Doutorado em Direito pela Universidade Clássica de Lisboa. É Doutor e Mestre em Direito do Estado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

A canetada de Bolsonaro
Bolsonaro deu uma canetada, nesta quinta-feira (21), e publicou um decreto de “graça constitucional” ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ). “Um decreto que vai ser cumprido”, disse Bolsonaro, em uma transmissão ao vivo nas redes sociais.