25 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Esportes

Justiça de Alagoas suspende eleição da CBF, que mantem preparativos

Há dirigentes que não ligam para a decisão em Alagoas porque a multa por descumprimento é considerada pequena

Ednaldo Rodrigues, presidente da CBF, entre Gustavo Feijó e Marcus Vicente. Foto: Thais Magalhães/CBF

A 1ª Vara Cível da Justiça de Alagoas suspendeu ontem (22) a realização da eleição para presidente da CBF, marcada para hoje (23).

A decisão atende uma demanda do vice-presidente da confederação, Gustavo Feijó, que não conseguiu inscrever uma chapa por falta de apoio.

O pleito seria realizado com candidatura única de Ednaldo Rodrigues, que conta com o aval de quase todos os clubes e federações.

Feijó alega que foi retirado do cargo de vice-presidente com antecedência e que a assembleia para definição das regras eleitorais não foi legal. Houve uma assembleia com participação de clubes da Série A e de federações estaduais para decidir os pesos dos votos de clubes e entidades regionais.

Ele argumenta que nesta assembleia não houve participação dos clubes da Série B e times de futebol feminino. A Lei Pelé define que as assembleias da CBF tenham participação de equipes das Séries A e B, mas não faz especificação por gênero.

Ele já tinha usado, sem sucesso, essa alegação junto à comissão eleitoral da CBF, mas teve o pedido negado. Outra tentativa frustrada foi no TJ-RJ.

Preparativos

Os planos seguem, o palco está preparado no auditório da entidade, mesmo com a liminar que suspende o pleito. Alguns pontos são usados como justificativa na CBF para não retroceder na eleição, que tem Ednaldo Rodrigues, atual presidente em exercício, como candidato único.

Nos bastidores, há dirigentes que não ligam para a decisão em Alagoas porque a multa por descumprimento é considerada pequena: R$ 50 mil. Sobre a questão financeira, o juiz, por outro lado, escreveu na sua peça que poderia majorar esse valor.

Isolado politicamente, Feijó está no Rio e planeja ir à CBF. Os presidentes de federações e clubes também ficaram na cidade. Todos estão se organizando para ir à sede da entidade.

Ednaldo conseguiu o apoio por escrito de 37 dos 40 clubes das Séries A e B. Ele ainda tem ao seu lado 26 das 27 federações — a Federação Alagoana, presidida por Felipe Feijó, filho de Gustavo Feijó, foge à regra.