15 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Justiça

Justiça decreta prisão de bolsonarista que matou petista e PT requer investigação federal

Ministério Público do Paraná afirmou que apura se o crime teve motivação política

A Justiça decretou a prisão preventiva do agente penitenciário Jorge Guaranho, que matou o guarda municipal Marcelo Arruda durante a festa de aniversário dele em Foz do Iguaçu (PR) neste fim de semana. A informação é do Ministério Público do Paraná.

O promotor Tiago Lisboa disse, durante entrevista coletiva, que um juiz plantonista aceitou o pedido de conversão da prisão em flagrante para prisão preventiva na noite de ontem. Guaranho está hospitalizado em estado grave sob escolta, segundo Lisboa.

O crime aconteceu na noite de sábado (9). Marcelo Arruda, que era tesoureiro do PT e foi candidato a vice-prefeito de Foz do Iguaçu pelo partido em 2020, festejava seu aniversário de 50 anos com a temática do partido, usando bandeiras e uma foto do ex-presidente e pré-candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva.

Ministério Público

O Ministério Público do Paraná afirmou que apura se o crime teve motivação política. Para o promotor Lisboa, a investigação deve ser “de fácil resolução”, mas precisam esclarecer a razão pela qual Guaranho estava no local. De acordo com o MP, o agente seria membro de uma associação na região, vizinha de onde aconteceu o caso.

Conforme mostram as imagens que integram a investigação, o policial penal bolsonarista Jorge Guaranho, que também foi baleado, foi agredido por alguns homens conhecidos do petista após cair no chão. De acordo com o promotor Tiago Lisboa Mendonça, ainda será avaliado qual o papel que essas agressões têm nos ferimentos do homem, uma vez que ele também foi baleado na cabeça e segue internado.

O promotor afirmou que boa parte das pessoas que estavam no momento dos fatos ainda não foram ouvidas, o que deve ser feito daqui para frente. Para verificar a dinâmica dos fatos, a investigação pode contar até com uma reconstituição do crime.

PT

O Partido dos Trabalhadores irá pedir à Procuradoria-Geral da República (​PGR) a federalização das investigações do assassinato do político petista Marcelo Arruda.

Representantes dos partidos da coligação em torno do nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) discutem a possibilidade em reunião do conselho político da pré-campanha nesta segunda (11). Os advogados estão se dedicando à redação do pedido e avaliando como proceder.

Um dos argumentos levantados por petistas é que até hoje não houve conclusão das investigações sobre os tiros que foram disparados contra o ônibus da caravana petista em maio de 2018. E que o que ocorreu com Marcelo não é um caso isolado.

Na abertura da reunião, a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman, afirmou que diante da liderança do ex-presidente Lula nas pesquisas de intenção de voto, o presidente Jair Bolsonaro (PL) está estimulando uma “guerra suja”.