22 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Cultura

Lançamento de livro Alagoas Memória das Mãos faz homenagem aos artistas populares

Idealizadora da publicação, a primeira-dama Renata Calheiros fez uma homenagem aos mestres já falecido

O lançamento do livro Alagoas Memória das Mãos, ocorrido hoje (21), no Museu Palácio Floriano Peixoto, reuniu artistas e intelectuais para homenagear a arte popular alagoana. A obra traz um resgate histórico-cultural da produção artesanal e apresenta um registro dos últimos oito anos do programa Alagoas Feita à Mão.

A solenidade foi uma homenagem aos mais de 17 mil artistas que fazem parte desse segmento e compõem o enredo do livro.

“Durante muito tempo nossos artistas foram esquecidos e por isso trabalhamos para resgatar esse orgulho do fazer a mão. Eles são mentes brilhantes e criativas e os resultados estão nas obras produzidas, no recorde de vendas e do respeito e destaque no Brasil e no mundo”.

Representando todos os artistas, o mestre e patrimônio vivo de Alagoas, João das Alagoas disse que as ações do Alagoas Feita à Mão valorizaram o trabalho dos artistas.

“Nossa arte está mais prestigiada, graças ao olhar desse governo. Esse livro foi uma dessas boas ações e nele ficará o registro, para sempre, de tudo que produzimos”.

A idealizadora da publicação, a primeira-dama Renata Calheiros, que esteve à frente do Alagoas Feita à Mão, fez uma homenagem aos mestres já falecidos e falou sobre a importância de preservação da tradição da arte popular alagoana.

“Acreditamos que os últimos anos abriram caminhos para um trilhar promissor desses artistas. Hoje eles estão mais valorizados, reconhecidos e fazem parte do orgulho de fazer arte em Alagoas”.

Assina a curadoria da obra foi Daniela Vasconcelos, gerente de artesanato e o jornalista Guilherme Lamenha, que é responsável pelos textos e pesquisa.

A direção criativa foi do designer Rodrigo Ambrósio. As fotografias são de Felipe Brasil, Jonathan Lins, Thiago Sampaio e Celso Brandão – estes com imagens raras em preto e branco. Além disso, as ilustrações do livro fazem parte do acervo de xilogravuras do Mestre Enéias Tavares.