26 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Laudo do Corpo de Bombeiros sobre HGE gera debate no Plenário

“Edificação encontra-se irregular, com sistemas e instrumentos preventivos deficientes, inoperantes e inexistentes

Em sessão nesta quarta-feira (1º de junho), na Assembleia Legislativa de Alagoas, o deputado Cabo Bebeto (PL) pediu a palavra para fazer uma denúncia sobre irregularidades no Hospital Geral do Estado.

O deputado relatou uma visita ao hospital referência do Estado, no dia 24 de setembro de 2021, ao lado dos deputados Davi Maia (União Brasil) e Dudu Ronalsa (MDB). Os Três representavam a Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia (09 CDH) e se disseram surpresos com o que viram.

“A 9ª Comissão enviou ao Corpo de Bombeiros (CBMAL) um relatório dos problemas encontrados, como fiações expostas, gambiarras e aparelhos de ar condicionado quebrados”, disse o deputado, e teve como resposta, em 19 de outubro, que um relatório seria enviado à comissão.

Cabo Bebeto relata que sete meses depois, em 22 de maio, a 9ª Comissão finalmente recebe o relatório. “O Corpo de Bombeiros chama a atenção pela impossibilidade de fazer vistoria no HGE, porque o HGE não possui projeto de segurança aprovado pelo Corpo de Bombeiros”, disse o deputado.

Como o edificação do HGE não possui projeto aprovado, não foi possível fazer a vistoria. “Desde 2015 o CBMAL emitiu a pendência relativa, mas a mesma não foi solucionada”, informou Cabo Bebeto.

No lugar de vistoria, foi feita então uma visita técnica. “Caixa de hidrante sem sinalização e mangueiras sem esguichos de teste; ausência de chaves de mangueira; inoperância do sistema de detecção de alarme de incêndio, falta de sistema de bomba de incêndio”, entre outro, alertou Cabo Bebeto, encerrando sobre a ausência de placas de sinalização.

A posição do CBMAL sobre o HGE, de acordo com o deputado, é de que a “edificação encontra-se irregular, com sistemas e instrumentos preventivos deficientes, inoperantes e inexistentes. Cabo Bebeto apontou também a urgência de regularização do prédio do HGEe que a situação é crítica.

Aparte

Em aparte, o deputado Davi Maia, que acompanhou o Cabo Bebeto na visita, questionou a demora para a entrega do relatório, pronto desde outubro do ano passado.

O deputado fez um paralelo com o incêndio da boate Kiss e alerta para que não seja necessária uma tragédia para que isso mude. “No mês passado houve um incêndio na sala de descanso das enfermeiras, que encontraram extintores que não funcionaram e correram para cuidar dos pacientes”, alertou Maia.

Jó Pereira (PSDB) também lamentou a demora na entrega do laudo. Ela também solicitou um convite para fazer parte das próximas visitas técnicas, mesmo sem fazer parte da comissão. “O Povo sente na pele a dificuldade de acessar exames tão importantes e apelo ao estado para solucionar e enfrentar as dificuldades”, concluiu a deputada.

Davi Davino Filho (Progressistas) concordou com a fala da colega e acrescentou que apesar da construção de novos hospitais, a população de alguns municípios ainda precisam se deslocar para se atendida em outras cidades. E fez questão de exaltar os profissionais de saúde do Estado, “heróis, mesmo sem condições de trabalho”.

Favoráveis ao diálogo com a nova gestão, que possui menos de um mês à frente do governo, a maioria dos deputados defendeu se reunir com o governador Paulo Dantas para solucionar ess problemas. E enalteceram o novo secretário de Saúde, Gustavo Pontes de Miranda.

Terceiro participante da visita de outubro, Dudu Ronalsa (MDB), foi o primeiro a defender essa reunião, com as presenças dos deputados da 9º Comissão e do governador e secretário de Saúde do Estado.

Já Silvio Camelo (PV), líder do governo, foi além e lembrou da disparidade na quantidade investimentos entre os governos estadual e municipal, de Maceió. “Maceió ou estado, vamos fazer um debate mais amplo. O Governo de Alagoas foi o que mais investiu nos últimos 50 anos”, disse Camelo, se referindo à construção de UPAs, hospitais, planos de carreira e contratações.

Inácio Loila (MDB) e Ronaldo Medeiros (PT) concordaram com o líder do governo e fizeram um relato histórico da saúde no Brasil. E assim como Bruno Toledo, reforçaram que o atual governo tem menos de um mês, mas exaltaram a abertura e diálogo de Paulo Dantas e Gustavo Pontes de Miranda.