21 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Blog

Maceió pode se diferenciar pela união do moderno ao tradicional

Cadeira gigante vira atração na orla da capital alagoana | Secom Maceió

Desnecessária a polêmica em torno da cadeira gigante na orla marítima da capital. O mundo está cada vez mais digital e isso não tem volta. Criar os tais espaços “instagramáveis” na região turística de Maceió foi uma excelente estratégia de marketing da gestão JHC.

Tanto que a prefeitura comemorou o aumento de 6.000% nas buscas pelo termo “Maceió” no Google, de acordo com o Google Trends. Como um dos principais destinos turísticos do Brasil, a cidade registrou um aumento monstruoso na sua divulgação, de forma espontânea.

Isso é muito bom, porque fortalece o turismo, oxigenando um dos nossos principais pilares econômicos, por meio da inovação e da criatividade. Além das praias inigualáveis, da boa comida e da hospitalidade, Maceió oferece espaços divertidos para aquela selfie diferentona e divertidíssima.

No entanto, há quem questione a eficácia dessa estratégia em médio prazo e ache que os monumentos instalados ao longo da orla deveriam representar nossos elementos culturais mais tradicionais, além das figuras ilustres do Estado.

Concordo que esses elementos locais devem ser valorizados, porém, não devemos ignorar que na era dos likes é preciso, também, apostar na modernidade para agradar a uma clientela que deixa recursos na cidade e que “vende” Maceió para outras pessoas virem conhecer nossos atrativos.

Nada impede que, depois de posar no cadeirão que está dando o que falar, as pessoas deem uma esticadinha pela bela orla maceioense e tire uma selfie ao lado do “Mestre Graça”, do famoso Aurélio, de Nise da Silveira e de Paulo Gracindo, entre outras estátuas que dividem o mesmo espaço.

Que os ânimos se arrefeçam e que Maceió se torne um símbolo da boa convivência entre o moderno e o tradicional. Todo mundo ganha, podem acreditar.