1 de março de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Maia diz que DEM perdeu Huck, critica medalhões e recebe convite de Doria para o PSDB

Antonio Carlos Magalhães Neto e Ronaldo Caiado falam em ansiedade e desequilíbrio do ex-presidente do Congresso

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que o apresentador Luciano Huck entraria a disputa presidencial de 2022 pelo DEM, mas que tudo ruiu por causa da eleição para presidente da Câmara dos Deputados.

A decisão do DEM de declarar neutralidade na véspera do pleito e abrir caminho para a vitória do candidato do governo Bolsonaro, Arthur Lira (PP-AL), acabou com os objetivos do partido de construir um projeto nacional, inclusive em torno de uma candidatura presidencial do apresentador da TV Globo.

O projeto do DEM acabou. O Luciano Huck estava filiado no DEM. Se decidisse ser candidato, estava 90% resolvido que se filiaria ao DEM. O ACM Neto tem mais relação (com Huck) que eu. Eu tenho, mas o Neto também tem. Não descarto nem a hipótese de o Bolsonaro acabar filiado ao DEM. Rodrigo Maia.

O deputado reafirmou que deixará o partido, após se sentir traído pelo presidente ACM Neto (BA). Segundo Maia, o ex-prefeito de Salvador havia dado sua palavra que o DEM apoiaria a candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP), articulada pelo agora ex-presidente da Câmara, mas recuou.

Ele também criticou o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, por defender o bloco de Rossi, mas articular nos bastidores em favor de Lira. Segundo Maia, faltou “caráter” aos dois correligionários.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que convidou o ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) a se filiar ao PSDB. O tucano afirmou que fez o convite ao se reunir com o deputado em sua casa, na capital paulista, na noite de ontem (7). O deputado prometeu dar uma resposta “nos próximos dias”.

DEM

Após serem duramente criticados por Rodrigo Maia, Antonio Carlos Magalhães Neto, e o governador Ronaldo Caiado rechaçaram ter havido “traição” da direção do partido a ele ou uma adesão da sigla ao governo do presidente Jair Bolsonaro durante a eleição para a escolha do novo presidente da Casa.

Em nota, ACM Neto disse que Maia se “encastelou no poder conquistado e, agora, demonstra surpreendente descontrole”. Além disso, afirmou que “dá pena vê-lo deixar, de forma tão lamentável, a posição de liderança que exerceu”.

Caiado afirmou que Maia foi acometido pela “síndrome da ansiedade de poder” e foto escolhida pelo jornal para ilustrar a matéria “identifica a face de desequilíbrio do paciente”.