27 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Maceió

Moradores de bairros afetados pela Braskem organizam demandas para apresentar à prefeitura

Reunião em Bebedouro dará espaço para que moradores levem pessoalmente suas demandas a Prefeitura de Maceió

Moradores solicitaram apoio da Prefeitura de Maceió para realização de um evento. Fotos: Davysson Mendes/Secom Maceió

Os representantes de associações de moradores dos bairros atingidos pelo afundamento do solo, em virtude da exploração de sal-gema, solicitaram ao Gabinete de Gestão Integrada para a Adoção de Medidas de Enfrentamento aos Impactos do Afundamento dos Bairros (GGI dos Bairros) apoio para a realização de um evento.

Neste, os moradores dos Flexais de Cima e de Baixo poderão debater sobre as demandas para o local. A solicitação foi feita durante uma reunião realizada na tarde desta terça-feira (31), na sede da Prefeitura de Maceió.

Na oportunidade, ficou definido que o evento ocorrerá no dia 22 de setembro, na Praça Lucena Maranhão, em Bebedouro.

As rodadas de conversa darão oportunidade aos moradores das localidades a explicar quais são as demandas da população que ainda reside nesses locais a Prefeitura de Maceió, aos Ministérios Públicos e a mineradora Braskem, apontada pelo Serviço Geológico dos Brasil como causadora do problema.

O prefeito JHC, que participou da reunião, se colocou à disposição dos moradores e se comprometeu a participar do evento. Segundo ele, será mais uma oportunidade para que os moradores se posicionem sobre o que querem para o local.

De acordo com o presidente da Associação de Moradores de Bebedouro, Augusto Cícero da Silva, o evento é promovido pelas associações de moradores de outros bairros.

“Eles entenderam que a pauta do Flexal é semelhante a muitas outras áreas atingidas pelos problemas. Tanto é que o evento será público, o que permitirá que moradores de outras áreas possam ouvir as demandas e se posicionar sobre os locais onde moram”. Augusto Cícero da Silva.

Já Fernando Lima, representante dos moradores do Bom Parto, defende que é necessário manter o foco no que os moradores querem.

“Nós demoramos muito para chegar até esse momento. Já são três anos desse problema e agora conseguimos uma parceria com a Prefeitura, então temos que manter o foco no que nós queremos para quando chegar no evento a gente não esmorecer”. Fernando Lima.

Segundo o coordenador do GGI dos Bairros, Ronnie Mota, o município irá participar do evento não apenas dando apoio estrutural, mas ouvindo os pedidos do moradores que ainda resistem nessas regiões.

“Foi um pleito muito interessante, muito propositivo, que é uma reunião com moradores dos bairros, principalmente Flexal de Cima, de Baixo e quebradas e ficou decidido que iremos participar de um grande movimento de escuta da população”. Ronnie Mota.