27 de julho de 2021Informação, independência e credibilidade
Maceió

Moradores prejudicados pela Braskem fecham a Av. Fernandes Lima em protesto

Para mobilização contra o maior  acidente ambiental já ocorrido no Brasil, artistas alagoanos irão fazer um show no local até as 14h

A Associação dos Empreendedores do Bairro Pinheiros e o Movimento Unificado das vítimas da Braskem fechou a Avenida Fernandes Lima, principal via de trânsito em Maceió, como protesto na manhã desta quinta (8), em um ato público contra o maior  acidente ambiental já ocorrido no Brasil: o afundamento dos bairros de Maceió, consequência da mineração da Braskem nessas áreas afetadas.

Avenida Fernandes Lima foi totalmente interditada. O grupo de manifestante ficou concentrado em frente a sede do Ministério Público Estadual (MPE/AL) , onde fechou com cartazes e faixas os dois sentidos da via.

A manifestação foi organizada pelo Movimento Unificado das Vítimas da Braskem (MUVB) em parceria com a Associação dos Empreendedores no Pinheiro e Região Afetada, que reúne comerciantes e moradores dos bairros Pinheiro, Bom Parto, Bebedouro, Mutange e uma parte do Farol.

Para mobilização, artistas alagoanos irão fazer um show no local até as 14h, que contará com a presença dos cantores alagoanos Fernanda Guimarães, Naná Martins, Mel Nascimento e Igbonan Rocha. A Polícia Militar e a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) enviaram equipes ao local para acompanhar o ato.

O protesto, que teve início por volta de 8h, é uma forma de mostrar que todos são contra a forma como vem sendo feito a avaliação dos imóveis e as propostas apresentadas pela empresa. “A Braskem vem aceitando somente as avaliações feitas por empresas que são ligadas a ela”, relata os moradores.

Mais de 60 mil pessoas já foram atingidas. Grande parte das vítimas cobram da Braskem e das autoridades a devida responsabilidade nas indenizações que estão sendo propostas e questionam o próprio Ministério Público na condução das tratativas com a empresa.

A manifestação tem ainda como objetivo chamar a atenção da sociedade alagoana para a dimensão e a gravidade do problema, que não tem sido prioridade das as instituições responsáveis.

A Braskem comentou em nota. Confira:

A Braskem apresentou resposta formal à manifestação do MUVB no prazo solicitado, por meio de ofício que também foi endereçado ao Ministério Público Federal e ao Ministério Público Estadual.

O cumprimento do Termo de Acordo é monitorado de perto pelas autoridades signatárias e o Programa de Compensação Financeira e Apoio à Realocação vem sendo constantemente aperfeiçoado, a partir do processo de escuta à população. Nesta evolução, dois aditivos e 24 resoluções foram firmados entre as partes, para regulamentar e aprimorar aspectos específicos do programa.

Como resultado dessa escuta ativa à comunidade e do aprimoramento constante, o programa registra hoje 7.519 propostas de indenização apresentadas e apenas 26 recusadas. A média de apresentação de propostas é de 630 por mês.

A empresa respeita o direito de manifestação pacífica e reitera seu compromisso com a segurança dos moradores dos bairros afetados pelo fenômeno geológico, propondo e executando as ações necessárias para isso.

“A empresa apresentou resposta formal à manifestação do MUVB no prazo solicitado, por meio de ofício que também foi endereçado ao Ministério Público Federal e ao Ministério Público Estadual” e que o cumprimento do acordo “é monitorado de perto pelas autoridades signatárias e o Programa de Compensação Financeira e Apoio à Realocação vem sendo constantemente aperfeiçoado, a partir do processo de escuta à população” (leia na íntegra ao final do texto).