28 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Mortes pela chuva em Petrópolis chegam a 120

Até o momento, 116 estão desaparecidos e 370 desabrigados

Bombeiros, moradores e voluntários trabalham no local do deslizamento no Morro da Oficina, após a chuva que castigou Petrópolis, na região serrana fluminense

O número de mortes pela chuva em Petrópolis chegou a 120, segundo a Defesa Civil estadual. Na última terça-feira (15), forte temporal caiu sobre a cidade da região serrana fluminense, provocando deslizamentos e enchentes em vários pontos.

Ontem (18) outro temporal atingiu a cidade, provocando novas enchentes. Ruas do centro histórico precisaram ser interditadas devido a alagamentos. Sirenes tocaram em alguns locais e pessoas tiveram que sair de suas casas em locais como a Quitandinha. Na comunidade 24 de Maio, novo deslizamento foi registrado.

De acordo com a Defesa Civil municipal de Petrópolis, núcleos de chuva de fraca a moderada se deslocam hoje em direção à cidade.

Segundo a Defesa Civil, 14 sirenes foram acionadas no 1º Distrito para alertar sobre a previsão de forte chuva. Tanto a rua Nova, na comunidade 24 de maio, quanto a Vila Manoel Correa, na Rua Teresa, foram interditadas. No bairro Quitandinha, houve alerta para evacuar quem vive em áreas de risco. Até o momento, 116 estão desaparecidos e 370 desabrigados.

Orçamento

A prefeitura de Petrópolis, cidade da Região Serrana do Rio castigada por chuvas que já causaram mais de cem mortes, reservou, no ano passado, mais recursos para gastar com luzes de Natal e publicidade do que com contenção de encostas.

O Portal da Transparência do município mostra que foram empenhados, em 2021, R$ 2,107 milhões em obras de prevenção de queda de barreiras. Somados, os recursos para propaganda (R$ 4,426 milhões) e a iluminação de fim de ano (R$ 1,105 milhão) foram, por sua vez, de R$ 5,531 milhões, mais que o dobro.