27 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Justiça

MP Eleitoral apoia TRE/AL publicamente e Téo Higino deve ser diplomado em 11 de outubro

Divulgação antecipada e equivocada pode ter tido a intenção de lançar dúvidas sobre o sistema eletrônico de votação e será apurada

O Ministério Público Eleitoral manifestou publicamente total apoio à atuação do promotor Eleitoral Lucas Mascarenhas na condução e fiscalização da eleição suplementar ocorrida no último domingo (12), no município de Campo Grande (AL), bem como no sistema eletrônico de votação utilizado:

Após eleições suplementares no município de Campo Grande (AL), no último domingo (12), correligionários de um dos candidatos a prefeito divulgaram antecipada e equivocadamente resultado das eleições.

A divulgação sem confirmação oficial pelos tribunais eleitorais (TSE e TRE/AL) desencadeou uma série de notícias não checadas fazendo a sociedade alagoana acreditar num falso resultado.

O Ministério Público Eleitoral em Alagoas, assim como o Tribunal Regional Eleitoral, declara que não houve irregularidades no sistema eleitoral de votação e apuração durante o processo de eleição suplementar. A atuação do promotor e do juiz Eleitoral, assim como das forças policiais, garantiu que tudo ocorresse dentro da normalidade esperada para o pleito.

A eleição suplementar de Campo Grande, houve 27 seções eleitorais, contudo, em virtude do baixo número de eleitores, quatro delas, quais sejam, a 149, 150, 151 e 158 foram agregadas à seção 156, de modo que, na referida eleição, funcionaram efetivamente 23 urnas eletrônicas, conforme relatório de totalização do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Diplomação

De acordo com o cartório da 20ª Zona Eleitoral, nesse momento a prestação de contas do candidato será juntada e analisada para que a diplomação seja marcada, o que deve ocorrer até o dia 11 de outubro.

Após a diplomação feita pela Justiça Eleitoral é que a Câmara Municipal poderá agendar a posse do novo prefeito.