29 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Blog

No samba do crioulo doido, Bolsonaro pode até virar Maria Fumaça

No desgoverno, o “mito” ensandece tropa e coloca a culpa de tudo no “lulaladão”, no PT e na “Globolixo”

Quando Stanislaw Ponte Preta criou, em 1968, o Samba do Crioulo Doido – paródia musical sobre a confusão política no Brasil imperial – não imaginava jamais que o seu texto fosse transcender épocas e se manter tão atual.

A confusão era tamanha na letra do samba que a escrava Chica da Silva queria obrigar a princesa Leopoldina a se casar com Tiradentes. Em síntese: “o bode que deu vou te contar”.

Tal como no Brasil de hoje, na pandemia do coronavírus e nas trapalhadas horrendas provocadas pelo gabinete palaciano no Planalto Central, a partir do próprio presidente Jair Messias Bolsonaro.

As confusões instituídas em torno do combate ao vírus deixaram-no só. Mais isolado do que ancião em UTI para tratamento do vírus. As diatribes praticadas pelo mandatário de plantão por não concordar com o isolamento social da população já percorrem o mundo e colocaram-no em oposição aos próprios ministros que nomeou.

Pelo que diz o noticiário nacional, Mandetta, da Saúde, Guedes, da Economia, e Moro, da Justiça, decidiram não mais obedecê-lo nessa história que ele, sua excelência, chama de histeria, gripezinha e o pior: usa Fakes News na comunicação para fazer valer sua opinião.

Ora, se o seu gabinete não o obedece é por que o rei está nu.

A letalidade do vírus está colocando o mundo inteiro à prova. Quem, entre os estadistas mais radicais, antes era contra o isolamento, hoje clama a seus liderados que fiquem em casa.

Os ministros de Bolsonaro não só estão em casa, como também apelam para que todos façam o mesmo de acordo com as normas estabelecidas.

Por que será que só ele cria o enredo diferente, fazendo valer a estratégia do crioulo doido? Tem algo aí. E mais à frente, quem viver (e sem paranoia) verá.

O diabo de tudo isso é que ficam nas redes sociais os chumbetas da insensatez a defender o indefensável, mesmo diante de todas manifestações do mundo técnico e científico.

Aliás, defender, não, a agredir a todos que questionam a postura tresloucada e tenebrosa do homem que deveria harmonizar o sentimento nacional.

E o fazem com o argumento da viseira reta, obtusa. A qualquer crítica ao ser, a chumbetagem reage, de preferência contra o ex-presidente Lula, o PT e a TV Globo. Uma sandice. Como se todos fossem uma coisa só.

Algo assim: E o Lula ladrão? E o PT? E a Globolixo?

Essa gente não se deu conta ainda que Lula não é mais presidente, PT não é mais governo e a Globo fez toda uma estratégia para derrubar o governo passado e ajudar a eleição do seu Jair.

O que se espera de quem assumiu o poder é que governe. Para todos. Mas o faça com o mínimo de competência, pois, caso contrário, será cobrado sim.

E a cobrança tem de partir da população mesmo que os ensandecidos não aceitem, em nome do fundamentalismo ideológico.

Quem tem que resolver os problemas é o mito que criaram. Só que não resolve e ainda fica em permanente campanha antecipada para 2022, com o adendo da idiotice extremada: –Se não está com o mito, torce contra o Brasil.

Ora, muito cômodo atribuir a culpa aos outros, não é?

No samba do crioulo doido, dona Leopoldina virou trem “e Dom Pedro uma estação também”.

Quem sabe, agora no desgoverno, sua excelência não vire a Maria Fumaça?