28 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Novo caso de corrupção no FNDE envolve consultor que faturou R$ 2,4 milhões

O FNDE funciona como banco do Ministério da Educação, controlado pelas lideranças do Centrão

FNDE: palco de uma série de escândalos de corrupção dentro governo Bolsonaro

O engenheiro civil chamado Darwin Einstein de Arruda Nogueira Lima, que atua ao mesmo tempo como consultor do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e é dono de uma empresa contratada por prefeituras para agilizar verbas públicas no fundo, recebeu R$ 2,4 milhões nas transações realizadas dentro do órgão público.

Trata-se de mais um escândalo de corrupção, denunciado pelo jornal  “O Estado de S. Paulo”, dentro do governo Jair Bolsonaro.

O consultor contratado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) atuou na intermediação de verbas para Prefeituras do Maranhão e faturou  “ao menos R$ 2,4 milhões” para facilitar o recebimento de verbas dentro do governo, onde ele já recebia como consultor.

O FNDE funciona como um banco dentro do Ministério da Educação, com orçamento superior a R$ 60 bilhões, controlado por líderes do Centrão. Mas, desde de 2019, a empresa do engenheiro fechou contratos com pelo menos 15 prefeituras maranhenses, que somaram empenhos de R$ 10,5 milhões do FNDE.

O FNDE é presidido por Marcelo Ponte, apadrinhado do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP-PI), um dos homens que controla as chaves dos cofres da União no atual governo Bolsonaro