24 de outubro de 2020Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Operação cumpre 15 mandados contra tráfico em Santana do Ipanema

Suspeita de liderar grupo é esposa de reeducando do Presídio de Segurança Máxima

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado de Alagoas e a Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) desencadearam, nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (14), a operação Ypanema para prender integrantes de uma organização criminosa especializada em tráfico de drogas, no município sertanejo de Santana do Ipanema.

Ao todo, foram cumpridos 15 mandados de prisão e de busca e apreensão, todos expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital.

O procedimento investigatório criminal (PIC) do Gaeco nº 06/2020 teve início em abril deste ano para desarticular uma organização criminosa com atuação no tráfico de entorpecentes e outros crimes correlatos na cidade de Santana de Ipanema.

Apontam as investigações do Ministério Público e das polícias que uma mulher é a principal responsável pelo desencadeamento de todas as infrações penais apuradas. Ela assumiu o comando do tráfico após seu marido ter sido preso – ele continua sendo reeeducando do Presídio de Segurança Máxima.

Organograma

O PIC também descobriu, de maneira pormenorizada, toda estrutura da organização criminosa, com o seu organograma detalhado com relação a divisão de tarefas desempenhada por cada um dos membros.

Um homem identificado como Sonic, é o gerente e braço direito da líder e, sua esposa, auxilia-o na contabilidade da venda da droga comercializada. Outro indivíduo é quem tem a função de vendedor, além de ser um dos braços armados da Orcrim.

Outro homem é considerado um dos principais vendedores de drogas da organização criminosa. O irmão da líder tem função de vendedor e distribuidor, e ainda auxilia na logística, fazendo o corte do entorpecente, a divisão e a sua posterior distribuição. Um jovem é uma mulher têm o papel de aviãozinhos.

Prisões e buscas deferidas

Ao requerer as prisões temporárias de todos os investigados, o Gaeco alegou:

“A expressão da criminalidade organizada se efetiva pela propagação do terror (com a perturbação do sossego, da paz e da segurança pública), ostensiva distribuição de material ilícito (a exemplo de armas de fogo e substâncias entorpecentes) e o cometimento de roubos, usando como mecanismo de atuação a divisão territorial, o estabelecimento e apologia de doutrina do terror, códigos e procedimentos rígidos de conduta, teleologicamente orientados, em forma de verdadeira empresa criminosa”. Promotores de Justiça do Gaeco.

As medidas de busca e apreensão também foram deferidas porque tanto o Gaeco quanto a SSP acreditam na grande possibilidade da apreensão de entorpecentes e armas de fogo nas residências dos alvos. “Além de capturar criminosos, a operação também quer retirar de circulação objetos que estejam sendo usados para a prática de crimes”, argumentaram os promotores de Justiça do Gaeco.

Efetivo participante

Para o cumprimento dos mandados durante a operação integrada foram empregados policiais militares do 7ºBPM e agentes da 2ª Delegacia Regional, da Polícia Civil.

Todos os presos e materiais que forem apreendidos serão encaminhados para a Delegacia de Santana do Ipanema para a confecção dos procedimentos cabíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.