29 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Mundo

Organização Mundial de Saúde declara pandemia de coronavírus

Mudança de classificação obriga países a tomarem atitudes preventivas

Tedros Adhanom, diretor geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), declarou hoje (11)  que a organização elevou o estado da contaminação pelo novo coronavírus como pandemia.

A mudança de classificação não se deve à gravidade da doença, e sim à disseminação geográfica rápida que o Covid-19 tem apresentado. “A OMS tem tratado da disseminação [do Covid-19] em uma escala de tempo muito curta, e estamos muito preocupados com os níveis alarmantes de contaminação e, também, de falta de ação [dos governos]”. Tedros Adhanom, diretor da OMS.

Na prática, ao anunciar a pandemia, a agência de saúde indica que governos devem trabalhar não mais para apenas conter um caso. Mas atuar também para atender uma parcela da população mais ampla e vulnerável. Estratégias direcionadas apenas para identificar casos e isolar pessoas precisam ser trocadas por um plano sanitário que evite mortes.

A mudança no status não significa que a taxa de letalidade tenha sido incrementada. Mas que a OMS apela para que governos adotem medidas mais duras e agressivas.

No Brasil

Na Câmara dos Deputados, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que a declaração de pandemia não muda as medidas no Brasil. Apesar disso, Luiz Henrique Mandetta, disse que a OMS demorou a reconhecer que havia um cenário de pandemia:

“Teimaram comigo. Falei: é uma pandemia, e desde a semana passada o Brasil já trata como pandemia. Se você tem uma transmissão sustentada em tantos países, como vou ficar procurando país por país, quem veio de onde? Isso pelo menos três semanas atrás já era impraticável pelos sistemas de saúde”. Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde.

Segundo ele, com a declaração de pandemia, a ideia é que o país passe a usar como critério para identificar casos a ocorrência de sintomas e histórico de viagem internacional, além do contato com casos confirmados.

Até o início da semana, a OMS estimava existia uma “janela de oportunidade” para conter o vírus. Mas tal fresta estava “se fechando”.

O país continua com o monitoramento das áreas atingidas e com as iniciativas e protocolos já anunciados. Hoje, o titular da pasta vai participar de comissão geral na casa, onde irá apresentar a deputados informações sobre as ações do governo acerca do problema.

Em apenas uma semana, o número de países afetados passou de 45 para mais de 110. O Brasil tem ao menos 35 casos confirmados.