29 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Blog

Os poderosos do Brasil já mandam o recado: Danem-se os que têm fome

E é em nome do poder que eles querem o Congresso com a última palavra até para derrubar decisões do STF

No poder, não importa quem tem fome. Valem mais os interesses bilionários

O bem estar deles é o que importa. Assim é o método de quem está no poder político e econômico. Não há, via de regra, nenhuma preocupação se 33 milhões de brasileiros estão passando fome.

Aliás, salvo pequenas proporções, a visão dessa gente é permanente: Danem-se os que têm fome.

Essa é a triste realidade de um País, onde o governante chega nos Estados Unidos diz que o Brasil alimenta 1 bilhão de pessoas no mundo, mas esquece de olhar para a cozinha de sua periferia, onde a miséria faz morada e a desigualdade amplia o fosso social.

Esquece que mais de 40 milhões de estudantes estão sem merenda escolar. Não importa, fica sem.

O que importa mesmo é manter R$ 21 milhões para gastos no cartão corporativo do chefe da Nação em apenas 2 anos, segundo revelou o Tribunal de Contas da União.

E mais ainda: Como liberar a fatura de R$ 150 bilhões para o grupo político chamado Centrão lhe garantir apoio a qualquer custo.

Manter esse status é, para os senhores do poder, questão de “honra” própria e de suas famílias, das suas tradições.

E sendo assim não pode haver obstáculos para que os interesses prevaleçam. Nem mesmo da lei.

Não é por outra razão que representantes desses setores poderosos estão alinhados para aprovar no Congresso uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que dá ao parlamento o poder para derrubar decisões do Supremo Tribunal Federal (STF).

Autonomia dos poderes, nem pensar. Juiz que não julga favorável aos ritos ditados pela turma do manda quem pode que se cuide.

A tal emenda é uma proposta de lideranças do próprio Centrão e que agora passa a ter o apoio da bancada do agronegócio e da evangélica, que são dois segmentos que não admitem nem redução do poder que têm na atualidade. Quanto mais, perdê-lo.

Essa emenda é o sinônimo da aberração constitucional e um golpe fatal na democracia. É a criação do rito da tirania de quem pode mais  num País, que não respeita mais os direitos da cidadania. Sobretudo de quem pode menos.

Enfim, não adianta faminto nenhum pedir ou gritar, pois eles ouvem o que convêm.

De fato, a máxima dessa gente e sempre a mesma: Quem tem fome que se dane!