2 de dezembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Pacheco espera que sabatina de Mendonça por vaga no STF seja marcada para a próxima semana

Ex-ministro é o indicado de Bolsonaro para uma vaga no STF

Em entrevista coletiva nesta terça-feira (23), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse estar confiante no resultado positivo do esforço concentrado da próxima semana — que deverá incluir a apreciação da indicação de André Mendonça para ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Antes da votação em Plenário, Mendonça precisa ser sabatinado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, que é presidida por Davi Alcolumbre (DEM-AP).

“Espero que o presidente [da CCJ] Davi [Alcolumbre] possa designar as reuniões na semana que vem para cumprimento dessa missão [a sabatina de Mendonça e de outras autoridades indicadas]. Mas todas essas prerrogativas são do presidente da comissão. Respeito a autonomia, respeito a independência, e espero que haja essa definição”. Rodrigo Pacheco.

Indicado por Bolsonaro para vaga no STF, Mendonça aguarda Alcolumbre definir data da sabatina

Alcolumbre

Davi Alcolumbre já chegou a declarar que não vai mais pautar a indicação de André Mendonça, atual advogado-geral da União, para ocupar a caga deixada no STF pelo ministro Marco Aurélio Mello, que se aposentou em julho.

“Não há mais clima para que a indicação feita por Bolsonaro entre na pauta do Senado”, disse o senador.  Segundo ele, “se Bolsonaro não respeita o Supremo, não tem condições de cobrar celeridade para a indicação”.

Isso, claro, até seis ex-funcionárias do gabinete de Alcolumbre acusarem o senador de ter embolsado 90% dos seus salários ao longo de cinco anos. Prática que, graças à família Bolsonaro, o Brasil conhece e chama de “rachadinha”.

A revelação foi feita hoje pela revista VEJA. Segundo a publicação, da ação na Justiça que as ex-funcionárias movem contra o senador constam extratos bancários comprovando que alguém zerava suas contas tão logo recebiam o pagamento. Os saques seriam feitos em dinheiro vivo, num caixa eletrônico próximo ao gabinete de Alcolumbre.