26 de outubro de 2020Informação, independência e credibilidade
Mundo

Países liderados por mulheres conseguiram melhores resultados na pandemia, segundo estudo

Análise aponta para medidas com bloqueios preventivos e taxas de mortalidade mais baixas sob líderes como Jacinda Ardern e Angela Merkel

Os países liderados por mulheres tiveram resultados de Covid-19 “sistematicamente e significativamente melhores”, realizando lockdowna mais cedo e sofrendo metade das mortes em média que aqueles liderados por homens.

Isso segundo uma análise de 194 países , publicada pelo Center for Economic Policy Research e pelo World Economic Forum. o estudo sugere que a diferença é real e “pode ser explicada pelas respostas políticas proativas e coordenadas” adotadas por líderes femininas.

E entre estas lideranças, estão nomes como Angela Merkel da Alemanha, Jacinda Ardern da Nova Zelândia, Mette Frederiksen da Dinamarca, Tsai Ing-wen de Taiwan e Sanna Marin da Finlândia.

“Nossos resultados indicam claramente que as mulheres líderes reagiram mais rápida e decisivamente em face de potenciais fatalidades. Em quase todos os casos, eles agiram mais cedo do que os líderes homens em circunstâncias semelhantes. Embora isso possa ter implicações econômicas de longo prazo, certamente ajudou esses países a salvar vidas, conforme evidenciado pelo número significativamente menor de mortes nesses países. ”, Supriya Garikipati, economista desenvolvimentista da Liverpool University, coautora com Uma Kambhampati da Reading University.

Critérios

Os dois pesquisadores disseram que analisaram diferentes respostas políticas e o total subsequente de casos e mortes de Covid-19 até 19 de maio, introduzindo uma série de variáveis ​​para ajudar a analisar os dados brutos e fazer comparações confiáveis ​​entre os países.

Entre os conjuntos de dados considerados estavam PIB, população total, densidade populacional e proporção de residentes idosos, bem como gastos anuais com saúde per capita, abertura para viagens internacionais e nível de igualdade de gênero na sociedade em geral.

Como apenas 19 dos quase 200 países eram liderados por mulheres, os autores também criaram os chamados países “vizinhos mais próximos” para compensar o pequeno tamanho da amostra, juntando Alemanha, Nova Zelândia e Bangladesh com Grã-Bretanha, Irlanda e Paquistão liderados por homens.

“Esta análise confirma claramente que quando os países liderados por mulheres são comparados a países semelhantes a eles em uma série de características, eles tiveram um desempenho melhor, experimentando menos casos, bem como menos mortes”. Garikipati.

Prioridade à Saúde

Embora as líderes femininas “tenham aversão ao risco em relação às vidas”, fechando seus países significativamente mais cedo do que os líderes homens, isso também sugeria que elas estavam “mais dispostas a assumir riscos no domínio da economia”, segundo a pesquisa.

Quando comparados de acordo com o critério de “abertura para viajar”, ​​os países liderados por mulheres não tiveram casos de Covid significativamente mais baixos, mas relataram menos mortes, descobriram os pesquisadores, concluindo que isso pode sugerir “melhores políticas e conformidade”.

Garikipati disse que a evidência de uma “diferença significativa e sistemática” mostrou que mesmo levando em consideração o contexto institucional e outros controles, “ser liderado por mulheres deu aos países uma vantagem na crise atual”.

Os pesquisadores disseram esperar que o estudo “sirva como um ponto de partida para iluminar a discussão sobre a influência dos líderes nacionais na explicação das diferenças nos resultados de Covid dos países”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.