21 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Parentes de reeducandos protestam por retorno das visitas no presídio e fecham BR-104

Grupo pretende acampar próximo do Sistema Penitenciário até conseguir uma resposta sobre a retomada das visitas

Familiares de reeducandos interditaram o trânsito na Rodovia Br-104, em frente à entrada do Sistema Prisional, na Cidade Universitária, parte alta da capital Maceió. Eles reivindicam o direito a visitas e à entrega de alimentos aos presos.

Grupo pretende só liberar a via após a a Secretaria de Estado de Ressocialização de Inclusão Social (Seris) se posicionar sobre a suspensão das visitas, acontecida ainda no início da pandemia.

O trânsito na região ficou  congestionado e com lentidão. Entre as reclamações, estão ainda a a falta de informações sobre seus familiares por parte dos servidores do Sistema.

Representantes da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AL) e policiais do gerenciamento de crises e Batalhão de Polícia de Guarda (BPGd) estão no local. Confira a nota da OAB:

“A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas (OAB-AL), por meio da Comissão de Direitos Humanos, está mediando as negociações entre os familiares dos reeducandos do Sistema Prisional de Maceió e o Gerenciamento de Crises da Polícia Militar, com finalidade de chegar a um acordo e a rodovia BR-104 seja liberada”. Nota da OAB.

Com a suspensão das visitas, por decisão da Vara de Execuções Penais da Capital, sem as visitas e entregas de cestas básicas, foi iniciada a campanha “Uma Carta Para Você”, onde os parentes podiam enviar emails para os detentos.

Os textos eram impressos por agentes penitenciários e entregues aos reeducandos, que escreveriam uma resposta. Só que há mais de uma semana, graças à falta de renovação dos pagamentos de horas extras aos policiais penais, a ação se tornou inviável.

Os agentes suspenderam o serviço e as cartas deixaram de ser respondidas. A OAB afirma que há a possibilidade da retomada deste pagamento amanhã, com o restabelecimento do serviço.

A pasta já está em contato com o Governo do Estado para tentar garantir a compensação das horas extras. Assunto esse que estaria sendo deliberado na Procuradoria Geral do Estado (PGE).