23 de outubro de 2020Informação, independência e credibilidade
Policia

Pessoas que pedem máscara durante a pandemia continuam sendo agredidas

É cientificamente comprovado que usar máscaras reduz drasticamente chances de desenvolver caso grave de covid-19

Nesta segunda-feira (12), o funcionário de uma loja de conveniência de um posto de combustíveis em Maceió, no bairro do Farol, registrou um Boletim de Ocorrências: ele foi agredido, no dia anterior (11), depois de que um cliente colocasse a máscara.

Com a máscara no queixo, o agressor fez questão de se aproximar do rosto do funcionário. Foi quando o funcionários recebeu o primeiro golpe. Ambos trocaram socos e chutes antes de serem separados.

Em entrevista à TV Pajuçara, ele explicou que o cliente estava com a máscara no queixo e se recusava a usá-la da forma correta para ser atendido. A orientação é atender consumidores que sigam as medidas sanitárias e que façam o uso da máscara.

Infelizmente, casos como esse, apesar da pandemia do novo coronavírus, não são raros. A inspetora da Polícia Civil que agrediu uma funcionária da pousada onde ela estava hospedada em Jericoacoara (CE), o cliente que danificou uma sorveteria em Campinas, o homem que socou uma funcionária em um mercado de Sorocaba (SP) ou mesmo o funcionário agredido e demitido por pedir máscaras dos clientes.

E no meio de tanta toxidade, diante de um gesto tão simples, tão eficaz e tão normal, do outro lado também há reações extremadas, como o segurança que esfaqueou um cliente por recusar o uso de máscaras em Belo Horizonte (MG) ou o passageiro que chutou um adolescente que não usava o equipamento de proteção em um ônibus em Salvador (BA).

Alguma coisa muito errado deve ter acontecido nestes últimos meses. Além de um elevado nível de sociopatia, talvez uma ou mais figuras de autoridade ou formadoras de opinião tenham ativamente, sabotado as medidas de contenção ao vírus.

Pandemia

Segundo o boletim mais recente, Alagoas tem 88.880 casos da Covid-19 e 2.144 óbitos. Em todo o Brasil, são 150.709 mortes pelo novo coronavírus, após um total de 5.102.603 diagnósticos confirmados.

Já é cientificamente comprovado que usar máscaras reduz drasticamente chances de desenvolver caso grave de covid-19. Mas, infelizmente, em uma era de desinformação, não só o uso da máscara durante uma pandemia é tabu, mas até mesmo a gravidade do vírus é questionada.

Negar usar máscara apenas para “proteger o outro” mostrou não só quem é egoísta e obtuso, mas literalmente criminoso.

Temos figuras de autoridade que não só rejeitam usar máscaras, influenciando seus seguidores, como vão além e tentam legislar contra a obrigatoriedade do equipamento. Não importa o espectro político.

Este artigo, com afirmações de uma médica infectologista americana, aqui com links de 15 artigos científicos, deveria ser o suficiente para o óbvio: usar máscara não é coisa de viado.

Além de ser um esforço para não se tornar vetor, ajudará a própria pessoa a ter sintomas mais leves. Com medidas mais simples que ozônio pelo reto ou um remédio que não funciona, poderíamos ter saído mais rápido disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.