28 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

PF faz operação contra deputados do PL e Valdemar Costa Neto desconfia de Bolsonaro

Com abertura de uma janela para troca de partidos, há expectativa de revoada de parlamentares bolsonaristas para o PL

O deputado Josimar de Maranhãozinho já foi flagrado com uma caixa de dinheiro

A PF (Polícia Federal) cumpre hoje (11) mandados de busca e apreensão em endereços ligados a deputados federais do PL, partido do presidente Jair Bolsonaro, por suspeita de desvio de recursos de emendas parlamentares. O caso corre em segredo de Justiça.

Desdobramento da Operação “Ágio Final”, deflagrada no fim de 2020, a ação mira os deputados Josimar de Maranhãozinho (PL-MA), flagrado com uma caixa de dinheiro, Bosco Costa (PL-SE) e Pastor Gil (PL-MA).

A suspeita é que os congressistas teriam usado um esquema de desvios articulado por Maranhãozinho, envolvendo empresas de fachada e dinheiro vivo.

Como o caso envolve parlamentares com prerrogativa de foro, a operação de hoje foi autorizada pelo relator da ação no STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Ricardo Lewandowski, que autorizou buscas nas residências e escritórios dos investigados.

A Corte, contudo, negou o pedido para que a PF fosse aos gabinetes dos parlamentares na Câmara. A PGR (Procuradoria-Geral da República) recorreu, mas o plenário do STF manteve a decisão em sessão virtual.

Valdemar Costa Neto, presidente do PL, e Jair Bolsonaro, que estava há dois anos sem partido

Valdemar Costa Neto

O presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, desconfia de que o presidente da República, Jair Bolsonaro, esteja por trás da operação da Polícia Federal deflagrada na manhã desta sexta-feira (11) contra deputados federais do partido.

Bolsonaro filiou-se ao PL no final de novembro, após ficar dois anos sem filiação. O presidente tentou negociar com vários pequenos partidos para que aceitassem lhe entregar o comando da legenda. Não tendo conseguido, acabou entrando no PL para concorrer à reeleição. Mas Valdemar Costa Neto manteve o controle dos diretórios.

Com abertura de uma janela para troca de partidos pelos políticos neste mês de março, sem risco de punição pela justiça eleitoral, passou a haver entre os políticos uma expectativa de revoada de parlamentares bolsonaristas para o PL.

Por causa dessa revoada, já havia desconfianças de que o grupo tentaria tomar a legenda de seu atual comando. Agora, com a operação da PF, Valdemar e seu grupo passaram a acreditar que o próprio Bolsonaro está à frente da operação.