26 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Blog

População reage a gastos milionários com shows e prefeito cancela contratos

Gustavo Lima ganharia R$ 1,2 milhão da Prefeitura por um show; Bruno e Marrone R$ 520 mil, dinheiro que era para educação e saúde.

Gustavo Lima: dinheiro da educação e da saúde para os seus shows

Critico da Lei Rounet de Incentivo a Cultura, o cantor bolsonarista Gustavo Lima agora é flagrado com contrato milionários com verbas públicas. Assim como ele, a dupla Bruno e Marrone, Zé Neto também foram denunciados na nova polêmica cultural que toma conta do País.

Gustavo Lima assinou contrato com a Prefeitura de Conceição do Mato Dentro, na Região Central de Minas, no mês de junho, onde iria ganhar nada menos que R$ 1,2 milhão por duas 2 horas de apresentação.

A cidade mineira tem 18 mil habitantes e a população do lugar se revoltou com a dinheirama destinada pelo município para o artista e obrigou  o prefeito, José Fernando Aparecido de Oliveira (MBD), a cancelar os contrato.

O prefeito foi a público e anunciou também o cancelamento do contrato da dupla Bruno e Marrone, que faria um show de 1 hora e meia, por R$ 520 mil.

A própria população do lugar denunciou que o dinheiro que iria ser gasto pela Prefeitura estava saindo dos orçamentos da Educação e Saúde, o que, naturalmente comprometeria os investimentos nas duas áreas nos meses a seguir.

A maioria dos cantores do chamado segmento sertanejo tem realizado apresentações com cachês acima de R$ 500 mil, a partir de contrato realizados com as prfeituras em todo o País.

O próprio Gustavo Lima e tantos outros farão shows em Maceió e no interior do Estado, nesse mesmo modelo. Ou seja, recebendo cifras milionárias.

O detalhe que agrava a situação, inclusive no paralelo da Lei Rouanet, é que os contratos desses artistas são feitos na esfera pública com dispensa de licitação, sob o beneplácito do Ministro Público pelo País afora. A Rouanet realizava editais e concorrências para que os artistas tivessem acesso aos recursos de incentivo à cultura.

Ah, vale esclarecer: a Lei Rouanet foi criada em 1991 pelo Congresso Nacional e sancionada pelo então presidente Fernando Collor.

De agora mesmo é essa nova modalidade dos sertanejos que levam o dinheiro dos cofres públicos numa pancada só e sem nenhuma transparência.

Enfim, a política do “pão e circo” não enganou a população mineira de Conceição do Mato Dentro.