25 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Economia

Postos já reajustam preços e combustível está até 25% mais caro

Um dia antes, consumidores formaram longas filas para encher o carro com valor que já estava alto

A Petrobras anunciou ontem (10) reajustes nos preços da gasolina, diesel e GLP, o gás de cozinha. E o aumento para as distribuidoras já está valendo.

O repasse final, afetando diretamente os preços das bombas e do botijão de gás, é mais um baque para o consumidor, que um dia antes formava longas filas para tentar encher o tanque – com preços que já estavam altos.

Em nota, a Petrobras diz que os valores “refletem parte da elevação dos patamares internacionais de preços de petróleo, impactados pela oferta limitada frente a demanda mundial por energia”.

Foto: Kléverson Levy

Nas distribuidoras, o preço médio da gasolina passará de R$ 3,25 para R$ 3,86 o litro, um aumento de 18,77%. Para o diesel, o valor irá de R$ 3,61 a R$ 4,51, alta de 24,9%.

Após 52 dias sem reajustes nos preços dos combustíveis, o aumento de ontem é um dos maiores já feitos pela Petrobras. E o consumidor deve pagar até 25% pelo combustível. E se antes a média do litro da gasolina era R$6,50, novos preços devem atingir entre R$7,50 a R$ 7,80.

Segundo a ANP, o preço médio da gasolina no país ficou em R$ 6,577 na semana encerrada no dia 5. Já o do diesel, em R$ 5,603.

Barril

O barril de petróleo no mercado internacional ultrapassou a marca de US$ 130 (R$ 656, na cotação de hoje) nos últimos dias, com o conflito entre a Rússia e a Ucrânia.

Quando a companhia anunciou o último aumento, em 11 de janeiro, o produto era cotado a cerca de US$ 83 (R$ 419).

O gás de cozinha passará de R$ 3,86 para R$ 4,48 por quilo, um reajuste de 16%. A última alteração no preço do insumo havia ocorrido em outubro do ano passado, há 152 dias.