20 de abril de 2021Informação, independência e credibilidade
Blog

Povo armado nas ruas é a decretação do estado miliciano brasileiro

O homem acreditou que é um Deus, dono da vida e da morte em pleno Natal

Certo dia alguém – por algo que escrevi – perguntou se eu estava torcendo contra o Brasil?

Sujeito chucro não merecia resposta, não a teve.

Talvez ainda não tenha percebido que quem torce contra o Brasil é quem tenta gerenciar a vida dos brasileiros como se tange uma boiada

Imagine que em plena pandemia, com quase 190 mil mortos no País, não há uma luz a iluminar os comandantes para que possamos superar essa quadra ruim, negacionista, como já acontece em outras nações.

Na América Latina, Chile, México e Costa Rica já iniciaram a vacinação de sua gente, enquanto por aqui o mandatário fica a zombar de tudo e todos, e a sugerir que o brasileiro que tomar vacina poderá se transformar em jacaré, chimpanzé ou sei lá mais o quê.

É de uma estupidez única no mundo. E assim age por que pastores como o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, ou mesmo milicianos como Fabrício Queiroz, disseram que ele era “o escolhido”.

O pior: ele acreditou. Agora quer posar como Deus da vida e da morte, até mesmo em pleno natal.

E isso fica muito claro quando neste 24 de dezembro de 2020, em uma costumeira live, faz a apologia do povo armado nas ruas. “Quero que o brasileiro se arme. Povo armado jamais será escravizado”.

Isso tem nome. É o estado miliciano. Que intimida, persegue e mata.

Um país, com mais de 14 milhões de desempregados vive, naturalmente, a ponto de explodir em consequência das desigualdades cultuadas por um elite perversa, desde o império, e hoje aberrantemente patrocinada pelo Estado.

A crise se agrava e esse governo ainda não foi capaz de dar respostas reais para livrar o País da bancarrota. Não há projeto para nada. Só sandices.

O ministro da Economia, perdido, se sustenta no lucro gerado para os investidores do mercado financeiro, os quais estão se lixando para o aprofundamento das desigualdades.

Hoje, a maior obra no País nesse desgoverno, até então,  é o auxílio emergencial. Que, aliás, é obra do Congresso Nacional. Pelo chefe do poder, nem isso.

E aí fico a perguntar: -Quem é mesmo que torce contra o Brasil?

Animado com a live do tocador de boiada, o idiota que me questionou já importou sua pistola Glock. Certamente ele eu vamos nos cruzar na calçada ou quem sabe na travessia da ponte.

Eu, caminhando e seguindo canção: “O puro conteúdo é consideração”.

Mas, bem do começo: “Se a gente falasse menos, talvez compreendesse mais”…

 

5 Comments

  • Avatar Marcelo da Fonseca Carnauba

    Nunca vi tanta idiotice numa única matéria. Gado era a manada que seguia o lularápio e a dilmanta, e vocês da imprensa marrom, que sugavam o dinheiro público, ficavam caladinhos para não perder a mamata. Agora que não tem mais os milhões de reais do dinheiro público, o nosso Presidente, honesto, patriota, cristão e homem de família, pra vocês esquerdistas é tudo o que não presta. Continuem chorando que o choro é de graça. Brasil acima de tudo, Deus acima de todos.

  • Avatar Gilson

    Agora só nos resta esperar a próxima eleição. Enquanto isso, é bom o povo sofrer bastante pra aprender votar direito

  • Avatar Gilk

    Muita imbrmecil essa matéria …pobre essa e a estratégia da implantação do comunismo. Desejar a população para. Massacrar.

Comments are closed.