6 de março de 2021Informação, independência e credibilidade
Maceió

Prefeitura de Maceió cobra da Braskem o começo das obras emergenciais de mobilidade em até 60 dias

Cobrança se deu durante reunião de grupo de trabalho com técnicos da Braskem

Reunião ocorreu na manhã desta quarta-feira. Foto: Rafa Chafer/Secom Maceió

A primeira reunião do grupo de trabalho para tratar da execução de obras emergenciais de mobilidade em reparação aos danos causados pelo afundamento do solo devido a mineração de sal-gema, entre a Prefeitura de Maceió e a Braskem, ocorreu na manhã desta quarta-feira (3). Os técnicos do Município cobraram a mineradora para que o começo dessa etapa ocorra em até 60 dias.

Para o coordenador do Gabinete de Gestão Integrada para Adoção de Medidas de Enfrentamento aos Impactos do Afundamento dos Bairros (GGI dos Bairros), Ronnie Mota, o município não pode mais esperar pela execução de obras de médio e longo prazo.

“Nós temos muita pressa, uma vez que já há uma via importante, a Avenida Major Cícero de Góes Monteiro, fechada. Isso obriga a motoristas da parte alta da cidade, que têm essa via como caminho natural a procurar outros acessos para chegar ao Centro, por exemplo”. Ronnie Mota.

Na oportunidade, o secretário municipal de Infraestrutura, Nemer Ibrahim, apresentou um projeto emergencial que conta com a estruturação de vias já existentes para comportar o tráfego de veículos e até a criação de uma nova via.

Essa adequação leva em conta a ligação entre as avenidas Durval de Góes Monteiro/Fernandes Lima a Avenida Menino Marcelo, vias que ligam a parte alta de Maceió até a parte baixa da Capital.

Também participaram da reunião o secretário-adjunto de Planejamento Urbano, Tácio Rodrigues, e o secretário-adjunto de Meio Ambiente, Ismar Macário, ambos da Secretaria de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Sedet), o secretário de Governo, Francisco Sales, e o deputado estadual Davi Maia.