29 de julho de 2021Informação, independência e credibilidade
Maceió

Prefeitura de Maceió protocola denúncia crime contra Casal pelos danos em vias públicas

Empresa teria descumprido lei que regulamenta a execução de obras de reparos e consertos em vias públicas após ações de terceirizadas

Av Ministro Humberto Gomes de Barros. Fotos: Wilma Andrade / Ascom Seminfra

Diante do descumprimento da Lei municipal, N° 6.336 de 2014, que regulamenta a execução de obras de reparos e consertos em vias públicas, decorrentes de serviços de engenharia executados por concessionárias, permissionárias de serviços públicos ou empresas terceirizadas na capital, a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminfra), protocolou nesta segunda-feira (14), no Ministério Público do Estado de Alagoas (MPAL), uma denúncia crime contra a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal).

O objetivo da denúncia é fazer com que o órgão cobre, de suas terceirizadas, Sanama e Sanema, o cumprimento da legislação que obriga que um cronograma de intervenções ao longo da cidade seja apresentado no prazo de 48 horas antes da execução. Além disso, a lei destaca ainda que a empresa que estiver realizando o trabalho ao longo da via, deve deixar a pavimentação nas mesmas condições que foram encontradas.

Rua João Lins Calheiros

“Nossa ação trata apenas de garantir a execução da Lei, que a Casal tem conhecimento e precisa cobrar das suas prestadoras de serviço, já que ela é a contratante”. Nemer Ibrahim, secretário de Infraestrutura.

A denúncia, que foi apresentada na Promotoria de Justiça de Urbanismo, Defesa dos Patrimônios Artístico, Estético, Histórico, Turístico e Paisagístico, traz ainda um relatório fotográfico de toda cidade que busca comprovar que a pavimentação feita pela Companhia de Saneamento de Alagoas é de péssima qualidade.

“Nossos técnicos desenvolveram um relatório fotográfico de toda a situação. Levantamos o problema na pavimentação e rede de drenagem e vamos encaminhar para os órgãos fiscalizadores. Precisamos cobrar que o serviço seja feito com qualidade”. Nemer Ibrahim.

O documento foi protocolado e deverá ser analisado e apurado pelo promotor Jorge Dória, que é o responsável pela 66ª Promotoria de Justiça da Capital.