26 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Pressionado, Bolsonaro manda caminhoneiros liberarem as estradas

Lideranças do Centrão no controle do País exigiram uma posição de Bolsonaro contra os bloqueios.

Bloqueios de estradas travaram a economia e Centrão exigiu recuo de Bolsonaro

O bloqueio de estradas em 14 estados por parte de empresas transportadoras, que usaram seus caminhoneiros contratados para o movimento de apoio ao governo, resultou em perdas para economia do País.

O movimento iniciado ainda no 7 de setembro chegou ontem ao seu ápice e o presidente Jair Bolsonaro foi alertado pelas lideranças do Centrão que era hora de recuar com os atos antidemocráticos.

Desta vez, sobretudo, em função das movimentações negativas da bolsa de valores e de alta do dólar no mercado financeiro.

O Centrão hoje é quem dita as pautas políticas do País e o controle do Orçamento da União. Segundo o presidente da Câmara, Arthur Lira, o momento não é para “bravatas”.

Diante disso, Bolsonaro foi obrigado a gravar áudio na noite desta quarta-feira, 8, pedindo que os manifestantes liberassem as estradas, por que o movimento iria causar desabastecimento nas cidades e aceleração dos preços ainda mais.

De acordo com Bolsonaro, a ação “atrapalha a economia” e “prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres”.
Veja o teor da mensagem:
“Fala para os caminhoneiros aí, que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham a nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação e prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres. Então, dá um toque no caras aí, se for possível, para liberar, tá ok? Para a gente seguir a normalidade. Deixa com a gente em Brasília aqui e agora. Mas não é fácil negociar e conversar por aqui com autoridades. Não é fácil. Mas a gente vai fazer a nossa parte aqui e vamos buscar uma solução para isso, tá ok? E aproveita, em meu nome, dá um abraço em todos os caminhoneiros. Valeu”.