25 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Blog

PRF também decreta 100 anos de sigilo para assassinato de Genivaldo na câmara de gás

Um crime hediondo e a apuração é abafada por determinação do governo que não quer a população sabendo dos seus malfeitos

Caso do assassinato de Genivaldo agora sob sigilo de 100 anos

Uma vez flagrado no crime, o governo de Jair Bolsonaro adotou uma estratégia de censura à informação, para que a população não tome conhecimento dos malfeitos.

Foi assim que surgiu a onda de decretar 100 anos de sigilo para os casos e denúncias envolvendo o governo.

O mais recente caso é do assassinato do sergipano Genivaldo de Jesus, em uma câmara de gás improvisada no porta malas de uma viatura, por agentes da Polícia Rodoviária Federal. A PRF também decretou 100 anos de sigilo sobre o crime.

Genivaldo de 38 anos foi morto em Umbaúba, Sergipe, após uma abordagem de agentes por conduzir uma motocicleta sem capacete. O crime acontecceu no dia  25 de maio.

O jornal brasiliense Metrópoles solicitou a quantidade, os números dos processos administrativos e acesso à íntegra dos autos já conclusos envolvendo os cinco agentes que assinaram o boletim de ocorrência policial sobre a abordagem. São eles: Clenilson José dos Santos, Paulo Rodolpho Lima Nascimento, Adeilton dos Santos Nunes, William de Barros Noia e Kleber Nascimento Freitas.

Foi exatamente aí que a PRF alegou que o processo estava com 100 anos de sigilo, sob a alegação de “proteção da informação sigilosa e da informação pessoal, observada a sua disponibilidade, autenticidade, integridade e eventual restrição de acesso”.

Diz a PRF que “configura, inclusive, conduta ilícita divulgação de informação pessoal”,

Mas, como bem o diz o jornal, o caso, no entanto, não é nada de informação pessoal, mas de ações relativas à conduta profissional dos servidores federais.

Enfim, os agentes cometeram um crime hediondo e o governo, como nos regimes autoritários, abafa o caso, jogando-o para debaixo do tapete.

Tristes sinais dos tempos na velha Terra de Santa Cruz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.