26 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Mundo

Primeiro paciente humano é injetado com vírus revolucionário que mata o câncer

Conhecido como Vaxinia, o vírus teve testes bem-sucedidos em animais

Cientistas injetaram no primeiro paciente humano um novo vírus que mata o câncer. O vírus, conhecido como Vaxinia, teve testes bem-sucedidos em animais. No entanto, o verdadeiro teste de sua eficácia começa com este novo ensaio clínico.

A esperança é que o vírus amplifique a resposta imunológica do corpo contra o câncer. O próprio vírus foi projetado especificamente para matar células cancerosas.

Em testes anteriores com animais, os cientistas viram resultados muito promissores. Esses tipos de vírus têm sido uma “arma fumegante” na luta contra o câncer por mais de um século.

O sucesso desses vírus tem sido muito limitado, no entanto. Desta vez, porém, os cientistas projetaram o vírus que mata o câncer não apenas para prejudicar as células cancerígenas, mas também para torná-las mais reconhecíveis pelo sistema imunológico do corpo. 

Os pesquisadores esperam que isso ajude a tornar a resposta do corpo mais forte, permitindo que ele lute melhor. Ensaios clínicos anteriores de medicamentos contra o câncer também mostraram resultados promissores. Mas a Vaxinia também pode ajudar a abrir novas portas.

Animais

Antes de passar para os testes em humanos, os cientistas testaram o vírus em animais. Em muitos casos, eles viram enorme sucesso na redução de tumores nos primeiros experimentos com animais e laboratórios. 

O vírus que mata o câncer mostrou que pode reduzir o tamanho dos tumores de câncer de pulmão, mama, ovário, pâncreas e cólon.

Assim, cientistas decidiram passar para testes em humanos. Os resultados observados em animais nem sempre se traduzem diretamente em pacientes humanos. Há muitas razões para isso, obviamente, mas os pesquisadores esperam que esse vírus possa melhorar a chance dos pacientes de lutar contra o câncer.

100 pessoas

O Vaxinia será testado em um estudo de Fase 1 com apenas 100 pacientes com câncer. Esses pacientes têm tumores sólidos metastáticos ou avançados e cada um tentou pelo menos dois outros tratamentos. 

Os pesquisadores planejam administrar a droga em dois grupos diferentes. O primeiro receberá apenas Vaxinia. O segundo grupo receberá o vírus que mata o câncer mais um medicamento de imunoterapia.

Obviamente, os ensaios da Fase 1 são principalmente sobre segurança e encontrar a dose ideal. Como tal, pode não provar a eficácia do vírus como um todo. 

No entanto, é um próximo passo importante na possibilidade de encontrar um método alternativo para combater o câncer. Atualmente, espera-se que o teste seja concluído no início de 2025. Portanto, levará um tempo até vermos os resultados finais.