21 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade
Maceió

Procon Maceió realiza “operação fila de banco” no Centro

Objetivo é monitorar, fiscalizar e apurar essas denúncias, principalmente a demora no atendimento

Nesta segunda semana de junho, o Procon Maceió iniciou uma fiscalização nas filas de banco das agências do Centro. A “operação fila de banco” apurou diversas denúncias feitas pelos consumidores, principalmente casos de inconformidades no atendimento. Ao todo, seis agências bancárias foram autuadas pelo órgão.

Entre as reclamações, foram constatadas a má prestação de serviços, tempo para iniciar atendimento acima do permitido e fila de consumidores aguardando atendimento fora da agência.

“O nosso objetivo é monitorar, fiscalizar e apurar essas denúncias, principalmente a demora no atendimento. Essa operação é um meio de garantir aos cidadãos um atendimento presencial mais humanizado. Por isso, em casos de inconformidades no atendimento, é essencial que os consumidores formalizem as denúncias para que sejam tomadas todas as medidas necessárias”. Leandro Almeida, diretor executivo do Procon Maceió.

De acordo com a Lei Municipal nº 5.516 de 2006, o tempo máximo de espera na fila do banco é de até 20 minutos. Em vésperas ou pós-feriados prolongados, dias de pagamentos dos funcionários públicos, vencimentos de contas de concessionárias de serviços públicos e de recebimento de tributos municipais, estaduais e federais, o tempo é de até 30 minutos.

Na primeira semana deste mês, a “operação fila de banco foi realizada no Centro de Maceió. Fotos: Procon Maceió

A lei também determina que é dever de cada instituição bancária fornecer senhas com data e hora aos usuários no ato da espera do atendimento.

O consumidor que identificar ou suspeitar de irregularidade, pode acionar o órgão por meio dos telefones: 0800 082 4567 ou no WhatsApp (82) 98882-8326.

Atendimentos presenciais

Os atendimentos presenciais do órgão estão sendo realizados na unidade do Centro Universitário Uninassau, no bairro Farol. Além da sede da antiga FAT, atual Centro Universitário Mário Pontes Jucá (UMJ), no Barro Duro.

O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 13h. Para formalizar as denúncias, é necessário entregar as cópias do RG, CPF, comprovante de residência e demais documentos que forem necessários para comprovar as reclamações de abuso aos direitos do consumidor.