27 de janeiro de 2021Informação, independência e credibilidade
Blog

PSL e PT terão os maiores tempos de rádio e TV para propaganda eleitoral

A propaganda eleitoral no rádio e na televisão começa em 9 de outubro

A propaganda eleitoral de rádio e TV começa em 9 de outubro

A partir de 9 de outubro, de acordo com a resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), partidos e coligações darão inicio à propaganda eleitoral no rádio e na televisão.

As coligações este ano só serão permitidas para as chapas majoritárias. E aí o candidato que reunir o maior número de partidos poderá ter o maior tempo diário de rádio e TV.

Já nas proporcionais não haverá coligação. Assim valerá o tempo individual de cada partido definido pelo TSE, para a campanha dos candidatos a vereadores.

No entanto, pelo menos 10 partidos nanicos este ano ficarão sem tempo para a propaganda por não terem atingido às chamadas cláusulas de barreiras.

Pelo critério do Tribunal, a definição do tempo de cada partido é o mesmo que define o acesso aos recursos do Fundo Partidário. Ou seja, terá dinheiro quem atingiu as metas das cláusulas de barreiras.

A corrida dos candidatos a prefeito em Maceió é exatamente para ampliar as alianças de olho no tempo de propaganda. Nesses tempos de campanha pelos veículos da internet, a propaganda na TV e no rádio pode não ter mais o mesmo peso hoje, mas não deve ser desconsiderada, jamais.

Assim, em Maceió, os candidatos JHC (PSB), Alfredo Gaspar (MDB), Ronaldo Lessa (PDT), Davi Filho (PP), que estão pela ordem nas pesquisas eleitorais, correm para montar as coligações. A mesma coisa devem fazer os candidatos Ricardo Barbosa (PT), Fátima Romar (Cidadania) e Josan Leite (PSL).

Individualmente, as legendas do PSL, com 12,81%, e do PT, com 11,32 %, têm os maiores tempos de TV. No caso da eleição majoritária, os candidatos terão dois blocos de 10 minutos de guia eleitoral três dias por semana.

Abertos às coligações, os demais partidos ficaram assim:

PSDB, com 6,6%
PSD, 6,43%
PP, 6,12%
PSB, 6,02%
MDB, 6,08%
PR, 5,84%
PRB, 5,58%
DEM, 5,12%
PDT, 5,08%
PSOL, 3,11%
NOVO, 3,07%
PODE, 2,51%
PROS, 2,28%
PTB, 2,26%
SOLIDARIEDADE, 2,18%
AVANTE, 2,06%
PPS, 1,78%
PSC, 1,97%
PV 1,78%