17 de julho de 2024Informação, independência e credibilidade
Política

Quase 150 pessoas morrem por dia em erros nos hospitais do Brasil

Mortes custaram R$ 10,6 bilhões apenas para o sistema privado no ano passado e superam as 175 mortes/dia provocadas pela violência no país

No ano passado, 54.076 pacientes morreram em hospitais públicos e privados, em todo o Brasil, devido a erros médicos. Ou seja: uma média de 148 pessoas morrem por dia, por razões completamente evitáveis, de acordo com pesquisa divulgada nesta quarta-feira (15) pelo 2º Anuário da Segurança Assistencial Hospitalar no Brasil.

Produzido pelo IESS (Instituto de Estudos de Saúde Suplementar) e pelo Instituto de Pesquisa Feluma, da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, mostra que os 148 óbitos diários por imperícia hospitalar só ficam atrás das 175 mortes violentas intencionais registradas por dia em 2017, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

O documento se refere a esses óbitos como “eventos adversos graves”, listando como exemplos infecção generalizada, pneumonia, infecção urinária, infecção do sítio cirúrgico, complicações com acessos e dispositivos vasculares. Erro no uso de medicamentos e complicações cirúrgicas, como hemorragia, também preocupam.

A quantidade de mortos por imperícia hospitalar, no entanto, está subestimada, afirma o superintendente-executivo do IESS, Luiz Augusto Carneiro. “O fato de os hospitais analisados no estudo serem considerados ‘de primeira linha’ indica que a média nacional projetada a partir da amostra estudada provavelmente está subestimando o problema”, diz. “É possível que ainda mais brasileiros morram por eventos adversos do que o detectado.”

O especialista afirma que, proporcionalmente, “temos no Brasil mais eventos adversos do que em outros países”. “A falta de transparência de informações e desempenho impede a comparação entre os prestadores, o que é ruim para o sistema e para o cidadão”, opina. O estudo estima que essas mortes custaram R$ 10,6 bilhões apenas para o sistema privado no ano passado.