21 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Real Digital: vem aí a criptomoeda brasileira, diz Banco Central

A crescente digitalização dos meios de pagamentos vai deixando de lado o dinheiro de papel

real digital está sendo preparado pelo Banco Central

Em meio a pandemia de covid-19 e a digitalização acelerada das formas de pagamentos, o dinheiro em espécie vem perdendo espaço na carteira dos brasileiros. Já as criptomoedas têm tido cada vez mais adeptos.

Por isso, o Banco Central do Brasil (BCB) decidiu entrar na onda das moedas digitais e promete divulgar, em breve, os pilares do que será o “real digital”.

A emissão de moedas digitais por bancos centrais, as chamadas CBDC (da sigla em inglês Central Bank Digital Currency), vem sendo estudada em todo o mundo e entrou oficialmente no radar do governo brasileiro no ano passado. Em agosto de 2020, o Banco Central (BC) criou um grupo de trabalho para “discutir os impactos de uma eventual emissão de moeda digital no Brasil”.

O presidente do BC, Roberto Campos Neto, passou a tratar a CBDC como uma consequência natural do processo de digitalização e modernização do sistema financeiro, que acelerou na pandemia da covid-19.

Campos Neto também já indicou que o Brasil deve contar com as condições necessárias para a emissão da moeda digital no próximo ano. E, nos últimos dias, vem prometendo novidades sobre o assunto. “Estamos avançando bastante no projeto de moeda digital e deveremos ter notícias em breve”, afirmou o ministro na Conferência Ibero-americana de Bancos Centrais, realizada recentemente. “A moeda digital se encaixa em um mundo em que há mais negociações digitais”, acrescentou, logo após exaltar o sucesso do Pix e o crescimento das fintechs no Brasil, em um evento de tecnologia.