27 de outubro de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Rede Feminina de Combate ao Câncer é a primeira entidade agraciada com a Comenda Irmã Dulce

Palestras e debates marcam sessão especial sobre o “Outubro Rosa”

A Assembleia Legislativa realizou uma sessão solene para a entrega da Comenda Irmã Dulce à Rede Feminina de Combate ao Câncer de Alagoas. Fundada em 1973 e presente em 22 estados brasileiros, a entidade foi a primeira homenageada com a comenda, conferida a pessoas e entidades que se destacam na área social, no âmbito do Estado.

Em Alagoas, a Rede Feminina de Combate ao Câncer presta assistência a pessoas de baixa renda, acometidas de câncer, usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS), em tratamento de quimioterapia e radioterapia. Os pacientes assistidos pela Rede recebem orientação espiritual, terapia ocupacional, carinho, atenção, lanches, fraldas descartáveis, kit higiene, passagens, remédios, alimentação diferenciada e comemoram datas festivas.

A iniciativa da homenagem é da deputada Fátima Canuto (PSC), voluntária que já presidiu a entidade por cinco vezes. “Essa homenagem representa muito para a instituição, que tem um trabalho incansável em Alagoas há mais de 20 anos, de forma voluntária “, informou a deputada.

A presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer em Alagoas, a psicopedagoga Maria Helena Russo Lessa, falou da importância da comenda Irmã Dulce e disse que entre as ações da Rede Feminina estão o acolhimento de pacientes, o apoio ao Projeto Mama, a participação em campanhas, entre outros.

“É com muito orgulho e satisfação que recebemos essa comenda em nome de todos que fazem a Rede Feminina de Combate ao Câncer. Nós abrigamos qualquer paciente que esteja se tratando de qualquer tipo de câncer pelo SUS, na Santa Casa de Maceió”. Maria Helena Russo Lessa.

Palestras

Atendendo a um requerimento da deputada Fátima Canuto (PSC), a Assembleia Legislativa realizou nesta sexta-feira, 8, uma sessão especial para discutir as ações alusivas à campanha “Outubro Rosa”, que tem por objetivo alertar as mulheres sobre a importância da detecção precoce do câncer de mama.

Este ano a campanha teve como tema “Outubro Rosa: 3 perguntas que salvam. As perguntas são: Você já fez sua mamografia este ano? Você tem controlado seu peso? Você tem feito atividade física regularmente?”. O evento contou ainda com a presença das deputadas Ângela Garrote (PP) e Flávia Cavalcante (PRTB).

As palestras foram proferidas pela médica mastologista Lígia Teixeira, pela médica endocrinologista Thaís Alencar e pelo professor de Educação Física José Jean Toscano. Também estavam presentes a representante da Secretaria estadual de Saúde, Inês Brandão, e voluntárias da Rede de Combate ao Câncer em Alagoas.

A sessão foi presidida pela deputada Fátima Canuto, que destacou a importância da discussão em torno do tema. Ela alertou que o câncer de mama ainda tem vitimado muitas mulheres.

“Essa sessão é importante para que as voluntárias presentes repliquem o que viram aqui, para que possamos salvar muitas vidas. A mulher precisa observar seu corpo, ter uma alimentação saudável e, com isso, melhorar sua qualidade de vida. É fundamental também fazer a sua mamografia e consultar um médico quando perceber algum sinal diferente no seu corpo”. Fátima Canuto.

A deputada Ângela enalteceu o trabalho realizado por Fátima Canuto. “Ela desempenha um trabalho de grande relevância muito antes de ser deputada. Uma pessoa de minha família, que com apenas de 30 anos de idade teve câncer, foi acolhida pela deputada Fátima. Precisamos homenagear as pessoas que tiveram a iniciativa de fazer um alerta sobre a prevenção ao câncer de mama”, disse.

A deputada Flávia Cavalcante reforçou a necessidade das mulheres realizarem os exames de rotina. “Mulheres, façam o autoexame, a mamografia e busquem conhecer seu corpo. Isso é fundamental na vida de todas vocês”, afirmou.

A importância do diagnóstico preventivo foi um dos assuntos da palestra da médica Lígia Teixeira. Ela observou que as mulheres, ao detectar algo estranho em seu corpo, procurem o atendimento médico o mais rápido possível.

“Para o diagnóstico precoce do câncer de mama é imprescindível a realização da mamografia. Recomendamos que seja feita anualmente após os 40 anos de idade. Já para as mulheres mais jovens se faz necessário a realização do autoexame todos os meses, depois do período da menstruação”. Lígia Teixeira.

Já o professor José Toscano recomendou a prática de atividades físicas para auxiliar no combate ao câncer de mama.

“Essa é uma oportunidade para mostrar a importância do exercício físico e saber qual beneficio isso irá trazer para as mulheres. Para se ter uma ideia, o exercício produz no nosso corpo alguns princípios ativos semelhantes aos que encontramos em alguns medicamentos para combater doenças crônicas, e isso pode fazer a diferença antes e após o diagnóstico confirmado”. José Toscano.

Por fim, a endocrinologista Thaís Alencar falou sobre a manutenção do peso no combate ao câncer de mama. “A obesidade é um fator de risco muito grande, principalmente nas pessoas de mais idade. A mulher pode evitar que isso venha a acontecer, utilizando técnicas de prevenção. Vale salientar que a obesidade vem junto com várias outras comorbidades”, avisou.