26 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Renan Calheiros e líder do governo Bolsonaro trocam ofensas: “comandante de roubalheira”

Ricardo Barros virou neste mês investigado formal da comissão, deixando a condição de testemunha

Relator da CPI da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) atacou hoje o líder do governo Bolsonaro na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), ao afirmar que ele é comandante de um “dos maiores esquemas de roubalheiras” e que merece ser “exemplarmente punido”.

O relator da CPI e o líder do governo iniciaram uma guerra recentemente, com Barros acusando Renan de vazar dados de sua quebra de sigilo. Barros virou neste mês investigado formal da comissão, deixando a condição de testemunha.

“Nós estamos avaliando que o deputado Ricardo Barros é o comandante de um dos maiores esquemas de roubalheira que assaltou, entre outros órgãos públicos, o Ministério da Saúde. Isso está tudo evidentemente comprovado. O papel do Ricardo Barros, líder do governo, na vida nacional é um papel lamentável e ele precisa ser exemplarmente punido por tudo isso”. Renan Calheiros, relator da CPI da Covid.

A CPI acredita que o líder de Bolsonaro esteja envolvido em esquemas ligados à vacina indiana Covaxin, além de promover tráfico de influência em favor da farmacêutica Belcher —que buscava vender ao Ministério da Saúde a vacina produzida pela chinesa CanSino.

Amigo pessoal de Barros, o advogado Marcos Tolentino é apontado como sócio-oculto do FIB Bank, empresa que deu a garantia para o negócio envolvendo a Covaxin.

Renan pretende concluir seu relatório nos dias 21 ou 22 de setembro.

Barros

Como respostas, Barros acusou o gabinete de Renan de vazar informações de sua quebra de sigilo. O líder do governo teve seus sigilos fiscal, bancário, telefônico e telemático quebrados pela comissão. O deputado federal chegou a divulgar foto de servidores do gabinete que teriam acessado as informações.

Ele também usou seu perfil nas redes sociais para criticar o suposto vazamento de dados que estavam presentes em relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).

“Renan enganou Cármen Lúcia (do STF). A CPI informou ao STF que ninguém havia acessado meus dados no sistema”. Ricardo Barros, líder do governo na Câmara.

Mais tarde, Barros ainda rebateu as acusações de Renan e afirmou que o relator e a comissão querem atacar o governo Bolsonaro.

“Senador Renan e a CPI não tem nada contra mim e não terão. Minha conduta é ilibada. Entendo o desespero de não terem concretude nas suas acusações. Só querem atacar o governo do qual sou líder. Enganar o STF não resolve a falta de consistência da CPI. Só causam danos ao Brasil”. Ricardo Barros.