27 de novembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Rodrigo Cunha gasta mais de meio milhão de reais do senado com gasolina

Relatório da Operação Tanque Furado diz que senador teve apenas uma nota identificada

Rodrigo Cunha é questionado na Operação Tanque Furado.

O nível de transparência do senador Rodrigo Cunha (PSDB-AL) com os gastos de combustíveis pagos pelo Senado Federal está sendo questionado nacionalmente pela Operação Tanque Furado, em Brasília.

A operação consiste em uma auditoria realizada em documentos fiscais referentes a despesas com combustíveis que
foram ressarcidas a parlamentares do Senado, entre os anos de 2019 e 2020. A auditoria é realizada pelo Instituto OPS.

De acordo com o relatório da Operação Tanque Furado, dentre os casos que causam estranheza estão abastecimentos vultosos e notas fiscais eletrônicas ao consumidor (NFC-e) sem identificação do consumidor ou emitidas em nome de consumidores que não fazem parte do gabinete parlamentar, ou ainda, em nome de empresas, nas contas de abastecimentos de vários senadores, entre eles Rodrigo Cunha.

Segundo o jornal Congresso Em Foco, por mês, cada senador tem direito a uma cota que varia de R$ 21 mil a R$ 44,2 mil, dependendo do estado. Nos dois anos analisados pelo OPS os senadores brasileiros gastaram um total de R$ 2,7 milhões com combustíveis.

Senador tem apenas uma nota identificada

De acordo com o relatório, o senador alagoano gastou de fevereiro de 2019 a agosto de 2021 o montante de R$ 544.517,51.

O relatório apurou que nas  notas fiscais auditadas, apenas em uma delas há a identificação do consumidor nas NFC-e,
documentos referenciados, o que contrariando as normas estabelecidas pelo Senado desde 2014.

Ao ser listado pela ausência de identificação do consumidor nas notas fiscais, o senador Rodrigo Cunha  afirmou que cumpre “com rigor todas as normativas para o uso probo e transparente dos recursos da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar dos Senadores – CEAPS”.

Diante da repercussão dos fatos divulgados pela auditoria do Instituto OPS, os dados foram contestados pela assessoria do senador, que disse, em nota, se tratar de “fake news”. O trabalho detalhado da auditoria com os números de todos os senadores foi divulgado neste sábado pelo portal Congresso Em Foco.

Veja a íntegra da nota da Assessoria do Senador Rodrigo Cunha

-A assessoria do senador Rodrigo Cunha (PSDB) esclarece que é falsa a informação de que o gabinete do parlamentar tenha gasto R$ 500.00,00 em combustível ao longo dos últimos 3 anos. Tal afirmação é inverídica, trata-se de fake news, não condiz com a realidade e pode ser facilmente verificada e contrastada junto aos sistemas de transparência do Senado Federal.

Em verdade, o gabinete do parlamentar destinou para a compra de combustível uma média de R$ 2.006,00 mensais, o que corresponde a R$ 68.235,00 em quase 3 anos de atuação no Senado Federal. Ou seja, o gasto do gabinete do senador com tal compra é 9 vezes menor que o alardeado falsamente e é totalmente compatível com a necessidade do exercício do mandato de Senador da República.

Rodrigo Cunha reitera seu compromisso com a transparência e com a correta aplicação dos recursos públicos. Durante seu mandato, o senador alagoano já economizou mais de R$ 300.00,00 mil reais da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar. O senador também abriu mão da chamada aposentadoria especial, do famigerado “auxílio paletó” no valor de R$ 33.000,00 e também de quaisquer verbas para auxílio moradia.

Por fim, o senador afirma que “é inadmissível a disseminação de notícias falsas e que buscam manchar a honra de quem atua na política com ética e com compromisso para com o dinheiro público”. Rodrigo Cunha também “repudia o veiculação de fake news e está devotado em fazer exercer a atividade pública com verdade e com trabalho em prol da população”.