13 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Blog

Ronaldo Lessa vice de Paulo Dantas: o lado de lá perdeu o bonde da democracia

Vice-prefeito de Maceió selou acordo para ser candidato a vice na chapa do MDB, mas disse que foi uma decisão sentida

Lessa e Paulo Dantas: o abraço que selou aliança MDB-PDT no governo estadual.

O ex-governador de Alagoas e atual vice-prefeito de Maceió, Ronaldo Lessa (PDT), assumiu a condição de pré-candidato a vice na chapa de Paulo Dantas, que vai disputar o governo do Estado.

Para Lessa a tomada de decisão não foi simples, mas ele destaca que não poderia ter sido diferente no atual momento em que a democracia está ameaçada e o retrocesso político tem pontuado no País.

Ao ser questionado pelo ÉAssim sobre o sentimento de ter rompido com o grupo do prefeito JHC (PSB), bem como o fator motivador para assumir a aliança política com o MDB, Lessa se manifestou com tristeza.

Ele destacou que no primeiro momento foi muito sentido por conta do senador Rodrigo Cunha, candidato a governador pelo União Brasil, que “foi muito correto comigo”.

Já num segundo momento, observou que sua vinda para o ninho emedebista, junto com o PDT, significa antes de tudo que o grupo que deixou para trás “perdeu o bonde da história e da democracia”, ao se vincluar a forças políticas que defendem o atraso e o arrocho nas políticas públicas para quem mais precisa.

Cercado por pedetistas históricos, como Jurandir Bóia, Kátia Born, Genilda Leão e Reinaldo Falcão, Lessa fez um discurso forte e emocionado na defesa da democracia brasileira e lembrou que quando saiu da clandestinidade para lutar contra a ditadura, o primeiro partido que lhe deu guarida foi exatamente o MDB. “Portanto, não sou um estranho no ninho”, acrescentou.

Para sua tomada de decisão, Lessa destacou a participação de agentes políticos como presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Victor, e o senador Renan Calheiros.

Agora, com a aliança oficializada por meio de uma carta política devidamente assinada, o ex-governador considera fundamental que todas as forças do campo demcrático estejam na luta contra o arbítrio, a intolerância e o ódio cego de setores políticos que hoje comandam o País.

Ronaldo Lessa deixou claro, entretanto, que sua aliança com o MDB de Paulo Dantas e Renan Calheiros não significa que ele vá abandonar o candidato do PDT a presidente do Brasil, Ciro Gomes.

“Eu sou Ciro e o Paulo é Lula, mas isso significa que assim nós nos respeitamos no exercício da democracia”. finalizou