29 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Mundo

Rússia mata civis ucranianos e soldados rumam até capital Kiev para “decapitar” governo

Embaixada do Brasil na Ucrânia orientou os brasileiros a deixar o país europeu imediatamente

As ameaças se concretizaram e a Rússia atacou e invadiu a Ucrânia na madrugada de quinta (24). Mais de uma centena de pessoas morreram, inclusive crianças, no primeiro dia do conflito.

Segundo guardas de fronteira ucranianos, as forças russas entraram na região do norte de Kiev a partir de Belarus para executar um ataque com mísseis contra alvos militares.

Mais de uma centena de pessoas morreram nos bombardeios da Rússia contra a Ucrânia. Um dos ataques atingiu um hospital em Donetsk, causando quatro mortes.

Segundo a CNN Internacional, o ACNUR (Alto-comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) afirmou que mais de 100 mil pessoas se deslocaram dentro da Ucrânia, “fugindo da violência por segurança”, nesta quinta-feira (24).

Segundo cálculos da União Europeia, mais de um milhão de pessoas podem chegar às nações vizinhas nos próximos dias.

Kiev

Com “superioridade aérea absoluta”, o exército russo se aproximava de Kiev, a capital ucraniana, com a intenção de “decapitar o governo” e substituí-lo por um pró-Rússia, segundo fontes militares ocidentais.

Depois de disparar mais de 160 mísseis contra alvos militares ucranianos, as forças russas avançaram rapidamente ao sul a partir de Belarus e “se aproximaram de Kiev” ao longo do dia, indicou um alto funcionário do Pentágono.

“Basicamente, têm a intenção de decapitar o governo e instalar sua própria forma de governo, o que explicaria este avanço inicial para Kiev”, avaliou.

De acordo com o funcionário de inteligência ocidental, “as defesas aéreas da Ucrânia foram eliminadas e eles não têm mais força aérea para se proteger”.

“Nas próximas horas, os russos tentarão concentrar uma força avassaladora em torno da capital e a defesa agora recai sobre as forças terrestres e a resistência popular”, explicou.

As tropas russas estarão ao redor de Kiev “em questão de dias, ou amanhã de manhã, no ritmo em que estão avançando”, enfatizou. “Não resta muito tempo. Acho que muito vai depender da resistência dos ucranianos.”

Brasileiros

A Embaixada do Brasil na Ucrânia orientou os brasileiros a deixar o país europeu imediatamente. Há cerca de 500 brasileiros na Ucrânia entre estudantes, executivos de multinacionais e familiares de ucranianos.