9 de dezembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Blog

Saúde mental e liberdade: um lema na luta antimanicomial

Na terça-feira, 18 de maio, o Hospital Escola Portugal Ramalho (HEPR) comemorou o Dia Nacional da Luta Antimanicomial com uma ação bem animada para falar de “Saúde mental e liberdade: um direito de todos”, organizada por médicos residentes de psiquiatria, estudantes de medicina e profissionais de saúde do Portugal Ramalho. Os objetivos? Promover um ambiente de alegria, descontração e integração no ambiente hospitalar e alertar a sociedade que a exclusão social é uma forma cruel de tratar pessoas em sofrimento psíquico.

A festa teve apresentação musical com a banda Alma de Borracha, gincana, karaokê, lanche coletivo, entrega de kits de higiene – contribuições da sociedade que fazem a diferença no dia a dia dos pacientes do Portugal Ramalho, proporcionando-lhes mais qualidade de vida – e eles ficaram radiantes com tanta animação na rotina quase sempre entediante de um hospital.

É o que recomendam as novas práticas da reforma psiquiátrica, que focam na humanização do tratamento. E mais do que nunca, em meio à pandemia e todas as crises por ela provocadas – de ordem sanitária, econômica e de convívio social – é fundamental levar a sociedade a refletir sobre saúde mental; sobre o direito à atenção psicossocial, ao tratamento humanizado, num momento em que, comprovadamente a saúde mental das pessoas tem sido duramente afetada por um bombardeio de fatos, atos e emoções pesadas.

REFERÊNCIAS

Vinculado à Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal), o Portugal Ramalho é o único hospital psiquiátrico da rede pública estadual e referência no atendimento de urgência e emergência psiquiátrica. Mas no seu histórico de 65 anos de existência vem construindo, nas últimas décadas, um certo protagonismo na defesa de atividades lúdicas como apoio terapêutico nos tratamentos psiquiátricos – inspirado, naturalmente, na conterrânea Nise da Silveira, uma das precursoras da luta antimanicomial no Brasil.

Já fiz algumas reportagens sobre atividades de interação social na unidade psiquiátrica, entre elas, o bloco Maluco Beleza, que no carnaval abre alas para espalhar alegria fora dos portões do hospital, desfilando nas ruas que o entornam, no bairro do Farol onde (ainda) está localizado.

Pesco, aqui, no material de divulgação do ato realizado na terça-feira, a fala da assistente social Derivalda Andrade, diretora do hospital, destacando que a reforma psiquiátrica vem abrindo, nas últimas décadas, um campo de possibilidades e mudanças na forma de lidar com as enfermidades mentais. “Essas mudanças não devem se restringir apenas aos sistemas de saúde. Lutamos também por uma transformação da sociedade diante dos indivíduos com sofrimento psíquico”, disse ela.

E emendo com a fala do médico Rodrigo Rebouças, residente em Psiquiatria da Uncisal, atuante no Hospital Escola e um dos organizadores do ato: “A luta dos profissionais de saúde mental do estado (e do Brasil) é por um modelo de tratamento humanizado, focado no indivíduo e não na doença”.

É ele que vai estar conosco, mais uma vez, na live do blog Por Elas, nesta quinta-feira (20), a partir das 20h, no instagram @Eassimnotícias.

Dia Antimanicomial – Ato no Hospital Escola Portugal Ramalho