11 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Sem Terra marcham em Maceió em defesa da Reforma Agrária

No dia do trabalhador e da trabalhadora rural reivindicam pautas antigas dos movimento, como a resolução das negociações para aquisição das terras da massa falida do Grupo João Lyra

Acampados na UFAL (Campus A. C. Simões) desde a tarde de ontem (24), famílias dos acampamentos e assentamentos de Alagoas marcham na manhã de hoje (25), Dia do Trabalhador e da Trabalhadora Rural, rumo ao centro da cidade.

A Marcha que deixa a Universidade nas primeiras horas do dia, atravessa as principais vias da capital, como parte da Jornada Unitária em Defesa da Reforma Agrária, contra a fome e a miséria.

Com o lema “Vida digna no campo: essa é a nossa luta!”, participam do ato a Comissão Pastoral da Terra (CPT), Frente Nacional de Luta (FNL), o Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento Terra, Trabalho e Liberdade (MTL), Movimento de Luta pela Terra (MLT) e Movimento Terra Livre.

Os camponeses e camponesas pautam junto ao governo estadual pautas antigas dos movimentos de luta pela terra de Alagoas, como a resolução das negociações para aquisição das terras da massa falida do Grupo João Lyra, para assentamento das famílias acampadas na região, bem como a retomada dos processos de áreas que tiveram suas negociações paralisadas no último período e aguardam posição do governo estadual para serem regularizadas.

Solidariedade

Como parte da Jornada, os Sem Terra realizam na tarde de hoje doação de toneladas de alimentos vindo dos acampamentos e assentamentos de Reforma Agraria na Vila Brejal, na Zona Sul de Maceió e doação de sangue no Hemoal.