21 de novembro de 2020Informação, independência e credibilidade
Brasil

Senado aprova pena de até cinco anos para maus-tratos contra cães ou gatos

Repercussão da revelação de Carlos Bolsonaro em 2009 ter jogado uma bomba caseira em um cachorro seria mais diferente agora

A repercussão da revelação de Carlos Bolsonaro, que em conversa com os colegas na Câmara Municipal do Rio, em 2019, disse ter jogado uma bomba caseira em um cachorro, seria mais diferente agora.

Se o mau-trato contra um animal implicava em uma pena de detenção, de três meses a um ano, e multa, o Plenário do Senado aprovou nesta quinta (9) um projeto para aumentar as penas.

Em sessão remota, o PL 1.095/2019, já aprovado na Câmara no final do ano passado, aumenta as penas para maus-tratos a cães e gatos e segue agora para a sanção do presidente Jair Bolsonaro.

Pela proposta, a prática de abuso, maus-tratos, ferimento ou mutilação a cães e gatos será punida com pena de reclusão, de dois a cinco anos, além de multa e proibição de guarda.

O projeto altera a Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605, de 1998) para criar um item específico para cães e gatos, que são os animais domésticos mais comuns e principais vítimas desse tipo de crime.

Carlos Bolsonaro

Em conversa com colegas Câmara Municipal do Rio, o vereador Carlos Bolsonaro “revelou que atirou uma bomba caseira em um cachorro porque o animal não parava de latir. A informação, de 2019, é de Ancelmo Gois, do O Globo.

Segundo o colunista, o artefato é conhecido como o nome de “Malvina” e o animal era de um vizinho do vereador. Carlos disse que fez isso porque o cachorro “não parava de latir”. Na conversa, o 02 do president não revelou se o artefato atingiu o animal e se ele ficou ferido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.