26 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Maceió

Senhora de 101 anos abandonada pela família morre no HGE

Seu resgate só aconteceu após o caso virar notícia, apesar de denúncia no MPE desde outubro do ano passado

A senhora de 101 anos, abandonada pela família e resgata há uma semana de uma casa em condições desumanas, morreu hoje no Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, na manhã desta quinta (19). E nestes oito dias internadas, a idosa Maria Izabel de Jesus dos Santos não recebeu nenhuma visita de parentes.

Cega, parcialmente surda e com problemas de locomoção, Maria Izabel não resistiu a um quadro infeccioso. Antes de ser resgatada, ela foi largada por um mês em cima de uma cama, dependendo totalmente da ajuda de vizinhos, responsáveis por sua alimentação, medicação e higiene pessoal.

“Ela estava internada na Área Amarela da unidade hospitalar, em estado grave, após ser diagnosticada com um derrame pleural bilateral. A idosa foi admitida na quarta-feira (11), às 23h44, com lesão vascular infecciosa na perna direita. Estava aos cuidados da equipe multidisciplinar e sem apresentação de familiares”. Boletim médico.

Um vizinho dela, César Augusto Pereira da Silva, já tinha denunciado o abandono ao Ministério Público Estadual (MPE). O órgão tinha conhecimento da situação desde outubro de 2020, mas seu resgate só aconteceu após o caso virar notícia.

Leia mais: Ação conjunta resgata idosa de 101 anos abandonada em residência na Jatiúca

A residência não proporcionava nenhum tipo de conforto e segurança que uma pessoa de 101 anos necessita. O banheiro, por exemplo, estava em péssimas condições, assim como o quarto onde a idosa foi encontrada. Ela estava em uma cama em situação bem debilitada e as equipes constataram que ela não estava se alimentando e precisava de atendimento médico.

Um abrigo filantrópico e religioso já tinha se colocado à disposição para acolher Maria Izabel, viúva há 5 anos, após a alta médica A carteira de identidade da idosa, no entanto, é do Estado da Guanabara, território atualmente anexado ao Rio de Janeiro, que teve governo próprio entre 1960 e 1975.