15 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Serviço Geológico identifica mais de 100 imóveis em áreas de risco em Batalha (AL)

Outras 30 cidades alagoanas, incluindo a capital Maceió, já foram mapeadas pelo Serviço Geológico do Brasil desde 2012

O Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM), empresa pública vinculada ao Ministério de Minas e Energia (MME), publicou, nesta semana, o relatório e o mapa onde são identificadas e classificadas as áreas de risco do município de Batalha, no estado de Alagoas.

Os estudos indicam o alto risco para a ocorrência de um acidente de origem geológica e as suas consequências, incluindo possíveis perdas de vidas e de bens materiais.

De acordo com os pesquisadores em geociências que estiveram na cidade no mês de maio para levantamentos, foram mapeadas cinco áreas com alto risco de inundação, onde vivem cerca de 580 pessoas em 147 imóveis.

Além de Batalha, outras 30 cidades alagoanas, incluindo a capital Maceió, já foram mapeadas pelo Serviço Geológico do Brasil desde 2012, quando o trabalho foi iniciado pelo órgão em todo o país.

No estado, considerando as 31 cidades mapeadas, são 191 áreas de risco – 37 áreas de risco muito alto e 154 áreas de risco alto, onde vivem aproximadamente 74 mil pessoas. Nestas localidades, a maior parte do risco é para ocorrência de deslizamentos, seguido de inundação, enxurrada e erosão.

Todas as informações são públicas e podem ser consultadas clicando aqui.

Após a setorização das áreas de risco, as informações são concentradas nos mapas e relatórios que, além de publicados no portal do Serviço Geológico do Brasil, são encaminhados aos gestores públicos das cidades contempladas.

As informações podem subsidiar a adoção de medidas de prevenção nas áreas identificadas. No relatório, os pesquisadores também indicam o que pode ser feito nas cidades para evitar perdas de vida e danos materiais.

Para acessar as informações sobre os municípios alagoanos, basta acessar aqui.