22 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Suspeito de atentado contra Porta dos Fundos é extraditado da Rússia

Ele fez parte do grupo que atacou com coquetel molotov sede da produtora no final de 2019

Eduardo Fauzi, empresário suspeito de fazer parte do grupo que atacou com coquetel molotov a sede da produtora Porta dos Fundos, no Rio de Janeiro, em dezembro de 2019, foi extraditado da Rússia para o Brasil.

Ele deixou o país acompanhado por dois policiais brasileiros da Interpol. Ele estava preso desde setembro de 2020, após ser detido no Aeroporto Internacional de Koltsovo, a 1.786 quilômetros de Moscou, capital da Rússia. A extradição do economista só foi autorizada em janeiro deste ano.

Leia mais: Grupo ‘Integralista’ assume atentado contra o Porta dos Fundos
Bolsonaro presta solidariedade ao dono da Havan e nada ao Porta dos Fundos

Após chegar no Rio de Janeiro, na noite de hoje (4), Fauzi será encaminhado para o Presídio José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte carioca. Amanhã, o suspeito passará por audiência de custódia.

A defesa do empresário argumenta que tentará afastar a possibilidade de que Eduardo seja indiciado pelo crime de tentativa de homicídio por dolo eventual e que “lutará para que ele responda pelo crime que cometeu e se cometeu”.

Terrorismo

Um grupo denominado como “Comando de Insurgência Popular Nacionalista da Grande Família Integralista Brasileira” assumiu, em vídeo o atentado terrorista contra a sede da produtora Porta dos Fundos. É o mesmo grupo assumiu atentado à UniRio e à Universidade Federal Fluminense (FF), queimando bandeiras antifascistas nos campus.

O material circulou em nichos católicos ao longo desta quarta-feira (25) e foi publicado pelo canal Ursal Network. O vídeo foi retirado do ar pouco depois da meia-noite, mas é possível encontrá-lo em outros canais no YouTube quando se pesquisa exatamente pelo nome do grupo. O suposto terrorista diz o seguinte:

“Nós, do Comando de Insurgência Popular Nacionalista da Grande Família Integralista Brasileira, reivindicamos a ação direta revolucionária que buscou justiçar os anseios de todo o povo brasileiro contra a atitude blasfema, burguesa e atipatriótica que o grupo de militantes marxistas culturais Porta dos Fundos tomou quando produziu o seu Especial de Natal”. Trecho do Vídeo.

Com imagens de pessoas encapuzadas atirando coquetéis molotov bem diante da fachada da produtora, o filminho já vem sendo avaliado pela Polícia Civil do Rio e comparado com as imagens das câmeras de segurança da produtora e da vizinhança, atestando sua autenticidade.