23 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade

Tag: economia

O preço da Reforma: R$ 1 bi a menos para Educação e R$ 763 mi a mais para Defesa

O preço da Reforma: R$ 1 bi a menos para Educação e R$ 763 mi a mais para Defesa

Política
Quase um terço dos R$ 3 bilhões que o governo Jair Bolsonaro (PSL) remanejou para facilitar o pagamento de emendas parlamentares, e comprar os votos da reforma da Previdência, devem sair do orçamento do MEC (Ministério da Educação). O texto do Executivo remaneja para outras áreas recursos que estavam bloqueados desde fevereiro. O maior impacto negativo é na Educação. O MEC perde R$ 926 milhões, de acordo com o texto encaminhado. Ou seja: todo aquele papo de contingenciamento era lorota e o corte finalmente é oficial. Os R$ 926 milhões representam 16% do total bloqueado no MEC neste ano, que soma R$ 5,8 bilhões. Os remanejamentos previstos no projeto atingem, na área da Educação, ações como o apoio à manutenção da educação infantil, concessão de bolsas na educação superior e básic
Bolsa tem a maior alta em 2 meses e dólar fecha estável a R$ 3,956

Bolsa tem a maior alta em 2 meses e dólar fecha estável a R$ 3,956

Expresso
O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou em alta de 2,06%, a 102.163,69 pontos, no maior avanço diário em mais de dois meses, desde 21 de maio (2,76%). Ontem, o índice havia perdido 2,51%, na maior queda em quase três meses. O dólar comercial fechou quase estável, em leve queda de 0,03%, a R$ 3,956 na venda, após seis altas seguidas. Na véspera, a moeda norte-americana havia ganhado 1,69%, no maior avanço diário em mais de quatro meses.
Guedes na CCJ: Governo suspenderá concursos por ter servidores demais

Guedes na CCJ: Governo suspenderá concursos por ter servidores demais

Política
https://www.youtube.com/watch?v=2uegJvkPT64 O Ministro da Economia, Paulo Guedes, participa de audiência pública na Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara dos Deputados para discutir a reforma da Previdência . A pressão para que o texto seja votado antes do recesso de julho é grande. O ministro foi obrigado a comparecer à audiência hoje, após convocação dos membros da comissão. Ele foi convidado para participar de reunião semelhante em 14 de maio, mas não compareceu ao evento e se justificou dizendo que já estaria em audiência da Comissão Mista do Orçamento. Sem concursos O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que os governos anteriores contrataram servidores públicos em excesso e concederam reajustes salariais "ferozmente". Segundo ele, por causa do inchaç
PIB brasileiro caiu 0,2% no primeiro trimestre de 2019

PIB brasileiro caiu 0,2% no primeiro trimestre de 2019

Brasil
O Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, caiu 0,2% no primeiro trimestre deste ano, na comparação com o último trimestre de 2018. Foi o primeiro resultado negativo nessa comparação desde o quarto trimestre de 2016 (-0,6%) A queda ocorreu depois de altas de 0,5% no terceiro e de 0,1% no quarto trimestres do ano passado. Segundo dados divulgados hoje (30), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a economia brasileira cresceu 0,5% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado e 0,9% no acumulado de 12 meses. Segundo o IBGE, o resultado negativo em relação ao trimestre anterior foi puxado, em grande parte, pelos recuos da indústria (-0,7%) e da agropecuária (-0,5%). Na indústria extrati
MP do Pente-fino nos benefícios do INSS é aprovado na Câmara

MP do Pente-fino nos benefícios do INSS é aprovado na Câmara

Política
A medida provisória (MP) que cria um pente-fino nos benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) foi aprovada na Câmara, nas primeiras horas desta quinta-feira (30). Foram quase quatro horas de votação até o plenário concluir a análise da medida. O presidente chegou a comemorar uma hora antes: BRASIL SEGUE AVANÇANDO! Aprovada na Câmara a MP 871, que combate fraudes no INSS. Economia estimada de R$ 10 bilhões por ano com a aplicação da medida. Matéria irá para votação no Senado nesta quinta, 30. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 30 de maio de 2019 Com a medida, a equipe econômica espera economizar R$ 9,8 bilhões neste ano ao estabelecer regras mais rígidas para ter direito ao auxílio-reclusão, benefício pago ao dependente de presidiário, e com os programas de com
Economistas já se preocupam: Brasil deve ter mais um ano perdido

Economistas já se preocupam: Brasil deve ter mais um ano perdido

Brasil
A lua de mel do mercado com o governo Bolsonaro pode ter acabado. A percepção agora é de que o país terá mais um ano perdido na economia, de acordo com analistas de mercado. As previsões do crescimento do PIB não param de cair. O Bradesco revisou a projeção para 1,1%, corte de 0,8 ponto percentual em apenas um mês, o que levaria à mesma taxa registrada em 2018 e em 2017. Santander e Itaú cortaram suas estimativas a 1,3% e novos cortes continuarão a ser feitos, como reflete o mercado nas estimativas do Boletim Focus do Banco Central. Na semana passada, a previsão de PIB foi reduzida todos os dias. Na média, os economistas ainda projetam avanço de 1,49% ao final de 2019, um crescimento de PIB 40% menor que o previsto no começo de janeiro (2,5%), quando o mercado ainda alimentava a
Guedes: Sem mudança na Previdência, vai sobrar pra Saúde e Educação

Guedes: Sem mudança na Previdência, vai sobrar pra Saúde e Educação

Brasil, Política
Na cerimônia de transmissão de cargo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, destacou que o mercado é o principal mecanismo de inclusão social, que permite redistribuir dinheiro de setores privilegiados da sociedade para a saúde e a educação. Ele defendeu reformas estruturais para destravar a economia brasileira, classificando-as de “paredes” de sustentação do teto de gastos. Sua gestão será centrada em quatro pilares: abertura da economia, simplificação de impostos, privatizações e reforma da Previdência, acompanhada da descentralização de recursos para estados e municípios. A reforma da Previdência é o principal desafio do governo Bolsonaro, Guedes nesta quarta-feira (2). Ele declarou que o segundo pilar do governo serão as privatizações e o terceiro será a simplificação tributá
PDV da Caixa supera 1.600 adesões

PDV da Caixa supera 1.600 adesões

Brasil
A nova fase do programa de demissão voluntária da Caixa Econômica Federal alcançou 1.685 adesões. A estimativa inicial de economia gerada com o programa é, conforme o banco público, de aproximadamente R$ 314 milhões ao ano. A segunda fase do Programa de Desligamento de Empregado (PDE) da Caixa, aberto em 26 de novembro, superou a meta estabelecida pela instituição, cujo limite máximo de desligamentos estava fixado em 1.600 empregados. "A receita é gestão de excelência e fazer o que tem que ser feito: redução de despesas, redução de inadimplência e foco em negócios rentáveis e sustentáveis", destacou o presidente da Caixa, Nelson de Souza. No final de setembro, o índice de eficiência operacional da instituição alcançou o patamar de 45,8%, melhor marca da história do banco. As últim